.........

Tsunami químico

.........

A venda de agroquímicos cresce, no Brasil, em percentuais muito superiores aos da média mundial. Como o crescimento da área plantada foi pequeno em relação ao aumento da produção agrícola nas últimas décadas (no Estado, por exemplo, a fronteira agrícola está consolidada há bastante tempo), estamos utilizando mais agroquímicos por hectare em algumas culturas.
Estão aí os números da Anvisa para confirmar o uso – e o abuso – desses produtos. O percentual de amostras com resíduos químicos chega a 63,4% no morango e a 91,8% no pimentão. É muita química na alimentação – com efeitos nocivos para a saúde e o ambiente. A reação a esse tsunami químico é o crescimento da procura por produtos orgânicos. O que já foi um pequeno nicho de mercado, sustentando por remanescentes de Woodstock e tribos afins, é hoje um vigoroso segmento do agronegócio, que atrai redes de supermercados, exporta, movimenta muito dinheiro e não para de crescer.

Fonte: Zero Hora | OLHAR DO CAMPO | Irineu Guarnier Filho