Trigo tem maior alta em três anos em Chicago

Previsões climáticas desfavoráveis para o cultivo do trigo em alguns importantes centros produtores globais assustaram os investidores especulativos ontem na bolsa de Chicago e desencadearam um efeito manada de compras, resultando na maior alta diária dos contratos futuros do cereal nos últimos três anos.

Os papéis de segunda posição de entrega em Chicago subiram 32,75 centavos, ou 6,8%, fechando a US$ 5,1425 o bushel.

A principal ameaça foi vista nos boletins meteorológicos sobre a Rússia, que está cultivando sua safra de primavera. A indicação é que o oeste do país viverá dias secos no início de junho.

Também levantou preocupações a previsão de clima frio no norte dos Estados Unidos, onde o cultivo de primavera correria o risco de ser afetado por geadas.

O cenário climático um pouco mais desfavorável bastou para que os fundos buscassem sair de suas posições vendidas – aposta na queda dos preços -, que haviam alcançado um saldo recorde na semana passada, com mais de 100 mil contratos.

Segundo Marcelo de Baco, da De Baco Corretora, de Ponta Grossa (RS), quase metade dos contratos vendidos foram reposicionados. Já Pedro Dejneka, sócio-diretor da consultoria AGR Brasil, de Chicago, calcula que foram recomprados 15 mil lotes. "Se os fundos não tivessem com posição vendida recorde, a alta não teria ocorrido. Assim, o mercado fica suscetível a dias como esse", afirma Dejneka.

As compras dos fundos fizeram os preços romperem a barreira dos US$ 4,84 o bushel, que era o limite das altas recentes, "e todo mundo comprou em efeito manada", observa De Baco.

As previsões climáticas se somam ao estabelecimento do El Niño, cuja formação foi reforçada ontem por um órgão do governo americano. Porém, mesmo que as previsões climáticas se confirmem, o efeito na produção deve ser limitado. No caso da Rússia, as lavouras já estão na reta final de desenvolvimento. Segundo Dejneka, as lavouras russas estarão mais suscetíveis a intempéries em julho.

Fonte: Valor | Por Camila Souza Ramos | De São Paulo