.........

TRIGO – Plantio do trigo entra na reta final no Rio Grande do Sul

.........

As geadas desta semana não afetaram as lavouras, que estão em fase de desenvolvimento vegetativo

agricultura_trigo (Foto: Thinkstock)(Foto: Thinkstock)

O informativo semanal da Emater/RS-Ascar, órgão de assistência técnica e extensão rural do governo gaúcho, relata que as temperaturas negativas desta semana, que provocaram geadas em todo Estado, não afetaram as lavouras de trigo.

Segundo os técnicos, no atual estágio em que se encontram as lavouras (100% em desenvolvimento vegetativo/perfilhamento), os eventuais danos por crestamento de folhas são perfeitamente recuperáveis, desde que a fertilidade e a umidade do solo se encontrem em níveis adequados.

Eles observam que a falta de chuvas tem sido a grande preocupação dos triticultores. Em muitas regiões o déficit hídrico acumulado durante este mês de julho é bastante expressivo, ultrapassando, em alguns casos, 90% a menos de chuva prevista para o período (Ijuí 95% e Erechim 92%).

Os prognósticos sobre a meteorologia sinalizam que esses índices devem permanecer até o final o final do mês, com pouca probabilidade de chuvas mais abundantes nos próximos dias

Em relação ao plantio, a pouca chuva registrada no último fim de semana foi suficiente apenas para que os triticultores pudessem semear áreas já preparadas para a finalidade, fazendo com que o percentual chegue, neste período, a 95% do total, aproximando-se da média que é de 96% para esta época do ano.

O levantamento de campo mostra que as áreas que ainda não finalizaram os trabalhos se encontram principalmente nos Campos de Cima da Serra, região cujo período preferencial para o plantio se encerrado em 31 de julho.

Os relatos de campo dão conta que as lavouras, de maneira geral, se ressentem de umidade mais elevada no solo para o desenvolvimento mais efetivo e vigoroso, apresentando plantas amareladas e com crescimento aquém do desejado em muitos casos.

O trabalho de controle de plantas concorrentes e a aplicação de fungicidas têm se mostrado ineficazes devido à baixa umidade do ar registrada nos últimos dias. As condições climáticas também favorecerem a aplicação de adubos nitrogenados, que podem acelerar o processo de recuperação das lavouras.

POR VENILSON FERREIRA

Fonte : Globo Rural