Território forte, agricultura desenvolvida

Patrus participa de encontro de colegiado do Território Zona Sul do Rio Grande do Sul

A fim de aproximar ainda mais as políticas públicas das comunidades rurais e conhecer o trabalho desenvolvido na Zona Sul do Rio Grande do Sul, o ministro do Desenvolvimento Agrário, Patrus Ananias, se reuniu nesta quarta-feira (3) com membros do colegiado territorial da região. O encontro, que faz parte da ação ‘Territórios em Foco’, ocorreu nas instalações do Centro de Capacitação de Agricultores Familiares (Cecaf), na Estação Experimental Cascata da Embrapa Clima Temperado, em Pelotas (RS).

Ao reconhecer o território como importante local de encontro de diversas políticas públicas e ponto central para o MDA, Patrus salientou que é um espaço para maximizar ações e recursos, criando sinergias. “Nenhuma política pública, por mais importante que seja, dá conta sozinha. Por isso o território é importante”.

Durante as discussões, mulheres, jovens rurais, quilombolas, pescadores artesanais, entre outros participantes, tiveram a oportunidade de apresentar ao ministro os avanços e conquistas dos últimos anos. O grupo ainda entregou ao ministro novas demandas e desafios para o desenvolvimento da região.

“Os territórios são protagonistas para o desenvolvimento rural e para definição e defesa de políticas públicas. Hoje, tive a oportunidade de assistir diversos testemunhos do valor desta estratégia de desenvolvimento e tenho a certeza que precisamos desse protagonismo para produzir alimentos saudáveis e em quantidade, mas uma forma saudável, correta, preservando a natureza e a vida”.

Para Rita Surita, integrante da coordenação do colégio territorial, a diversidade da região e a articulação local são importantes para impulsionar o desenvolvimento regional. “Gostamos de ser reconhecidos como um território onde os agricultores familiares se organizam e produzem alimentos. A grande maioria dos municípios (que compõem o território) tem uma dinâmica rural, onde a produção de alimentos tem grande diversidade e é a base da economia. Articular essa diversidade dentro do colegiado territorial é fundamental. Com essa organização temos a possibilidade de incentivar a produção com foco na agroecologia”, destacou a liderança ao reconhecer o valor da articulação territorial para fomento e implementação de políticas públicas.

O secretário de Desenvolvimento Territorial (SDT/MDA), Humberto de Oliveira, pontuou que a articulação social, empreendida no território Zona Sul, é uma das boas experiências de incentivo à agricultura familiar e assentamentos da reforma agrária. “Nossa presença aqui valoriza a política territorial, valoriza as boas experiências de desenvolvimento local. Cada território tem sua singularidade, cada um com sua particularidade, e este aqui eu considero um dos melhores do Brasil, uma referência para nosso trabalho na secretaria”. Humberto também saudou a participação das universidades no apoio ao desenvolvimento de colegiados com os Núcleos de Extensão e Pesquisa em Desenvolvimento Territorial (Nedet).

Perfil do território

O território da cidadania Zona Sul, é composto por 25 municípios – destes 23 são municípios rurais. Ao todo, nestes municípios, existem mais de 32 mil unidades produtivas da agricultura familiar e estão implantantados 116 assentamentos da reforma agrária, que beneficiam 3.595 famílias com acesso à terra, ao crédito e com condição de produzir alimentos saudáveis.

No território, existem 44 comunidades quilombolas, onde vivem mais de três mil famílias, além de oito mil pescadores artesanais – que representam cerca de 60% dos pescadores do estado. O território é reconhecido regionalmente como um pólo diversificado de produção de alimentos e sementes com foco na agroecologia.

Territórios em Foco

Para direcionar melhor as políticas públicas para o meio rural, o Ministério do Desenvolvimento Agrário (MDA) trabalha com o conceito de Territórios de Identidade. O território é formado por uma reunião de municípios que compartilham aspectos históricos, culturais, econômicos, geográficos, sociais comuns.

Dentro dos territórios, a sociedade civil e o poder público se organizam em colegiados, para monitorar a execução de políticas públicas para o campo. O ministro Patrus Ananias iniciou, em julho de 2015, uma série de viagens para conhecer de perto os resultados e desafios dessa estratégia importante para o desenvolvimento rural.

Nas atividades, estão visitas a espaços da agricultura familiar, assentamentos, acampamentos, quilombolas, colegiados e movimentos sociais. Em 2015, o ministro percorreu os territórios Sertão Central (CE), Vale do Itapecuru (MA), Norte (ES), Baia de Ilha Grande (RJ), Araguaia Xingu (MT) e Alto Sertão (SE).

>> Confira aqui as visitas do ministro no Território Zona Sul do Rio Grande do Sul.

Mateus Zimmemann
Ascom/MDA

Fonte : MDA