.........

Stihl vai ampliar produção no RS

.........

Fonte:  Valor | Por Sérgio Ruck Bueno | De Porto Alegre

A Stihl, multinacional alemã fabricante de ferramentas motorizadas para os segmentos florestal, agropecuário e doméstico, vai investir R$ 518,5 milhões de 2011 a 2014 na ampliação da fábrica de São Leopoldo, na região metropolitana de Porto Alegre. Com a expansão, a unidade passará a produzir 95% dos cilindros para motores utilizados nas fábricas do grupo no mundo, incluindo Alemanha, Estados Unidos e China, ante 70% atualmente, informou ontem o presidente da empresa no Brasil, Cláudio Guenther.

Conforme o executivo, as demais unidades industriais do grupo disputavam o investimento, mas a opção foi o Brasil devido à especialização da unidade local, que opera há 38 anos e fabrica o componente há 13. Ele não revelou números absolutos, mas que a produção de cilindros vai crescer 56% até 2014 e que 98% do volume será destinado às fábricas da Stihl nos outros países, oito pontos a mais do que o percentual atual.

A filial brasileira, que responde por cerca de 10% do faturamento global do grupo, estimado em mais de € 2,5 bilhões em 2011, ainda exporta 50% dos motores e ferramentas que produz. O portfólio inclui roçadeiras, pulverizadores, sopradores e motosserras, mas essas linhas não serão ampliadas. Segundo Guenther, as vendas no mercado doméstico cresceram 37% em 2010 e vão avançar mais 40% em 2011, puxadas por produtos importados de fábricas da empresa devido à valorização do real.

O protocolo de intenções para a realização do investimento foi assinado no Palácio Piratini, sede do governo estadual, que vai permitir o uso de créditos de ICMS acumulados pela empresa no pagamento de fornecedores localizados no Rio Grande do Sul. Selina Stihl, acionista e integrante da terceira geração da família fundadora do grupo, que tem sede na cidade alemã de Waiblingen, também participou do evento.

Os benefícios fiscais concedidos pelo governo gaúcho incluem redução de ICMS na aquisição de matérias-primas e insumos de fornecedores locais e na importação de máquinas sem similar no Estado pelo porto de Rio Grande. Segundo o governador Tarso Genro (PT), a concessão dos incentivos justifica-se pelo compromisso da Stihl de criar 645 empregos qualificados no período, além dos 1,8 mil funcionários atuais.

A Stihl compromete-se a manter uma média trimestral não inferior a 1,64 mil empregos em São Leopoldo durante a vigência do acordo, com preferência de contratação de mão de obra local. A média salarial também deverá crescer gradualmente, passando de pelo menos R$ 2,8 mil em 2011 para no mínimo R$ 3,34 mil, em 2014.

Outros compromissos da empresa incluem treinamento e capacitação de pessoal, desenvolvimento de tecnologias de preservação ambiental, prioridade à aquisição de conteúdo local e relacionamento com instituições financeiras ligadas ao governo.