.........

Sojicultores de Mato Grosso esperam pela chuva para dar início ao plantio do grão

.........

Produtores que investiram em tecnologia de irrigação já começaram o plantio

Reprodução

Foto: Reprodução / Canal Rural

Ideal é pelo menos 80 mm de chuva para garantir o plantio

A falta de umidade no solo faz com que os produtores de Mato Grosso esperem pelas chuvas para dar início ao plantio da soja. Porém, quem investiu em tecnologia de irrigação, já colocou as máquinas no campo.

>> Acompanhe o início da safra com o projeto Soja Brasil

A propriedade de Cláudio Vicari, localizada no norte do Estado, conta com dois pivôs centrais que cobrem uma área de 320 hectares. Vicari conta que a semeadura realizada a menos de cinco dias sobre a resteva de feijão, é regada a cada 48 horas garantindo oito milímetros de água no solo até o surgimento das primeiras folhas.

No Estado, a maioria dos produtores vão esperar pela chuva. Desde o início do mês na região de Sorriso as precipitações foram fracas. O ideal é pelo menos 80 mm para garantir o plantio. O trabalhador rural, Ivanir Paniz, conta que nos 2, 800 hectares destinados a cultura na propriedade que ele atua, o ritmo de plantio vai ser lento, para evitar perdas na época da colheita e, assim, garantir o rendimento de 54 sacas por hectare.
O presidente do Sindicato Rural de Sorriso, Laércio Lenz, diz que não há necessidade de apressar o plantio para fazer a safrinha de milho no início de 2014. Com excedentes do cereal em todo o Estado, é mais vantajoso para o produtor aguardar pelas precipitações e fazer uma safra de soja “bem caprichada”.

Segundo dados do Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea), devem ser cultivados em Mato Grosso 8, 278 milhões de hectares de soja, aumento de 4,9%. O Estado deve colher 25 milhões de toneadas de soja na safra 2013/2014.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr