.........

Soja ‘puxa’ embarques do campo

.........

A aceleração das exportações brasileiras de soja para a China confirmou-se como o grande destaque da balança comercial do agronegócio do país de janeiro a junho deste ano. Apesar da menor oferta no país, em razão da quebra da safra 2011/12 na região Sul, o "complexo" formado pelo grão e seus derivados (farelo e óleo) não só manteve a liderança entre os produtos mais exportados pelo setor como foi o único entre os principais itens da pauta a fechar o período com desempenho superior ao do primeiro semestre de 2011.

Conforme dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex) compilados pelo Ministério da Agricultura, as exportações do complexo voltaram a subir em junho – 5,9% em relação ao mesmo mês do ano passado, para US$ 3,3 bilhões – e atingiram US$ 15,9 bilhões na primeira metade do ano, 25,4% mais que nos primeiros seis meses de 2011. Dos cinco itens ou grupos de produtos do agronegócio mais exportados, o complexo soja foi o único a driblar as quedas generalizadas de cotações e a subir em ambas as comparações.

Carnes (bovina, de frango e suína), complexo sucroalcooleiro (açúcar e etanol), produtos florestais e café tiveram retrações no mês e no semestre. No total, os embarques brasileiros do agronegócio renderam US$ 8,1 bilhões em junho, 9,4% menos que no mesmo mês de 2011. As importações recuaram 22,7% em igual comparação, para US$ 1,1 bilhão, e, com isso, o superávit do setor diminuiu 6,9%, para US$ 7 bilhões. Graças à soja, as exportações totais somaram US$ 44,8 bilhões no primeiro semestre de 2012, 3,7% mais que em igual período de 2011. As importações caíram 4,4% no intervalo, para US$ 8 bilhões, e o superávit cresceu 5,7%, para US$ 36,8 bilhões.

Em tempos de crise na zona do euro, turbulências financeiras e forte volatilidade das cotações das commodities, a melhor performance da soja pode ser creditada à China, que mesmo crescendo menos mostrou-se "superativa" nesse mercado no primeiro semestre. Responsável por cerca de 60% das importações globais de soja em grão, a China inclusive ampliou sua liderança como principal destino dos embarques setoriais do Brasil. Puxadas pela oleaginosa, as vendas brasileiras do setor para o país asiático atingiram US$ 10,7 bilhões, 17,7% a mais que de janeiro a junho do ano passado.

Conforme o ministério, os embarques brasileiros de soja em grão aumentaram quase 30% na comparação semestral, ou quase 5,3 milhões de toneladas, enquanto o preço médio das vendas subiu 5,1% (ver ao lado). Volume e receita dos embarques de farelo recuaram, enquanto no óleo de soja houve aumentos nas duas frentes, apesar da queda do preço médio. Nas exportações, o grão "domina" o complexo soja.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2743788/soja-puxa-embarques-do-campo#ixzz20Dyci8g0

Fonte: Valor | Por Fernando Lopes | De São Paulo