.........

Soja pode ter nova regra

.........

Produtor gaúcho quer revisão do zoneamento agroclimático e inclusão de variedades para várzea

Migração do arroz para a soja provocou a necessidade de adaptação<br /><b>Crédito: </b> ARTHUR PULS / memória / cp

Migração do arroz para a soja provocou a necessidade de adaptação
Crédito: ARTHUR PULS / memória / cp

Os sojicultores gaúchos querem que o Ministério da Agricultura (Mapa) revise o Zoneamento Agrícola de Risco Climático para o plantio da oleaginosa no Rio Grande do Sul. O principal argumento do setor produtivo é que, com a elevação da semeadura na Metade Sul do Estado, especialmente na Região da Campanha, há necessidade de avaliar e incluir cultivares específicas para o plantio na várzea. Segundo dados da safra 2011/1012, a área com soja cresceu 2,8% no Estado, totalizando 4,19 milhões de hectares. Enquanto isso, no mesmo ciclo, o arroz apresentou uma retração de 10,1% para 1,05 milhão de hectares. Para o presidente da Comissão de Grãos da Federação da Agricultura do Estado do Rio Grande do Sul (Farsul), Jorge Rodrigues, isso é um sinal de migração entre as culturas, especialmente com o intuito de diversificar a produção na propriedade rural e garantir renda. Por isso, a comissão irá discutir o tema, amanhã. A ideia é definir uma proposta mais adequada ao Estado para entregar ao ministério.
A proposta será embasada nos ensaios desenvolvidos com cultivares em rede feito pela Fundação Pró-Sementes. O coordenador da Unidade de Cultivares de Verão da fundação, Victor Sommer, explica que a microrregião 101, que inclui áreas cultivadas no Leste, Centro, Sul, Campanha e Oeste do Estado, é vasta. Além disso, ela apresenta variações de solo e clima, então não poderia ser considerada somente uma. "A segregação pode ser diferente com, no mínimo, cinco regiões distintas", observa o especialista. Ele explica que, com a migração na Metade Sul, a fundação teve de adequar seus experimentos. Ampliou as áreas de testes desde a safra 2009/2010, de quatro para nove áreas piloto, sendo cinco delas em terrenos de várzea. "Nesse caso, temos três situações encomendadas por produtores."
No ciclo 2011/12, foram analisadas no Rio Grande do Sul 78 cultivares indicadas pelo zoneamento. Todas foram também testadas na várzea. Essa é a quarta avaliação de plantio que a fundação faz, e as informações ainda estão sendo tabuladas para divulgação. Jorge Rodrigues avalia que é preciso adequar o zoneamento à realidade das regiões, considerando os diferentes solos, a época de realização e o período conforme a região produtora.
No Estado, o período de plantio recomendado no zoneamento se estende entre 15 de outubro e 31 de dezembro. O assistente técnico de soja da Emater, Alencar Rugeri, reforça que a principal mudança deve mesmo ser a inclusão de cultivares adaptadas à várzea.

Fonte: Correio do Povo