.........

SOJA GAÚCHA | Mais grãos rumo ao porto

.........

Cada vez mais abundante no Estado, a soja ultrapassa as demandas do mercado interno e registra exportações em alta até novembro, o grão já correspondia a 29,9% do total de produtos enviadas para fora. Mas até que ponto negociar o grão in natura é realmente vantajoso ?
– Estamos exportando água e solo fértil, fechando possibilidades de emprego no processamento – analisa o professor de Sociologia do Desenvolvimento Rural da Universidade Federal do Rio Grande do Sul, Sergio Schneider.
Economista-chefe da Federação da Agricultura (Farsul), Antônio da Luz discorda. Para ele, exportar o grão é o natural e seguro diante de péssimas condições logísticas, alta carga de tributos e desindustrialização nacional:
– O grão é resultado de valor agregado: há vários segmentos que se envolvem na produção, do desenvolvimento de sementes à tecnologia empregada no cultivo.
O fato é que a valorização da oleagionsa tende a abrir o leque de oportunidades. Para o consultor da Safras & Mercado Luiz Fernando Roque, a relevância da soja tende a crescer com novas fronteiras agrícolas, melhor preço em relação a outros grãos e demanda por exportação:
– A soja tem riscos, mas menos do que outras culturas.
Outro desafio é aprimorar negociações internacionais.
– Falta experiência ao produtor na hora de negociar. É preciso planejar melhor, especialmente a comercialização – ressalta Roque.

MULTIMÍDIA

    Fonte: Zero Hora