.........

Soja em grãos atinge recorde e complexo fecha semestre com alta de 3,6%

.........

Levantamento do MDIC mostra que no primeiro semestre embarques de grãos cresceram 11,97% em relação ao mesmo período do ano passado

por Globo Rural On-line, com informações do Estadão Conteúdo

Manoel Marques/Ed. Globo

Embarque de farelo de soja no Porto de Paranaguá (Manoel Marques/Ed. Globo)

O primeiro semestre de 2013 foi extremamente positivo para as exportações brasileiras de soja em grãos. No período, foi embarcado um volume recorde de 26,172 milhões de toneladas. O número é 11,97% superior ao embarcado em igual período do ano passado. A receita cresceu 16,05% e somou US$ 13,856 bilhões. O preço médio subiu 3,64%, para US$ 529,43 por tonelada.

Segundo o balanço divulgado nesta segunda-feira (1°/7) pelo o Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio (MDIC), no mês de junho os embarques de grãos atingiram 6,570 milhões de toneladas, volume 17,3% abaixo do volume recorde de 7,951 milhões de toneladas registrado em maio e 35,7% superior aos 4,841 milhões de toneladas embarcadas em junho do ano passado. A receita das exportações ficou em US$ 3,479 bilhões, valor 16,2% inferior ao mês anterior e 32,23% acima de junho de 2012. O preço médio em junho foi de US$ 529,53 por tonelada, valor 1,3% superior ao mês anterior e 1,0% abaixo de junho do ano passado.

Complexo

Ainda de acordo com o MDIC, o complexo fechou o primeiro semestre com crescimento de 3,6% no volume exportado, que atingiu 32,527 milhões de toneladas, e de 9,1% na receita, que somou US$ 17,296 bilhões. No cômputo geral, o desempenho foi recorde, apesar da queda do volume embarcado de óleo e farelo. O preço médio do complexo subiu 5,3%, para US$ 531,75 a tonelada, graças ao aumento de quase 25% na cotação do farelo.

Em junho, as exportações do complexo somaram 7,975 milhões de toneladas, volume 15,6% abaixo do desempenho do registrado em maio e 28,2% acima do verificado em junho de 2012. A receita somou US$ 4,245 bilhões e foi 13,9% inferior à de maio de 2913 e 28,8% acima de junho de 2012. O preço médio do complexo em junho foi de US$ 529,60 a tonelada, valor 1,5% superior ao mês anterior e praticamente estável em relação a junho de 2012. 

Farelo

As exportações de farelo de soja no primeiro semestre somaram 5,841 milhões de toneladas, volume 17,5% inferior ao exportado de janeiro a junho do ano passado. No entanto, a receita das vendas externas do farelo de soja cresceu 2,83% e somou US 2,889 bilhões, graças ao aumento de 24,7% no preço médio, que ficou em US$ 494,72 por tonelada.

Já os embarques do farelo no mês passado somaram 1,3 milhão de toneladas, volume 5,8% inferior ao embarcado em maio (1,38 milhão de toneladas) e 5,3% superior a junho do ano passado (1,23 milhão de toneladas). A receita das exportações de farelo de soja em junho ficou em US$ 637,8 milhões, valor 1,9% abaixo do registrado em maio (US$ 650,2 milhões) e 19,2% superior ao de junho de 2012 (US$ 534,8 milhões). O preço médio do farelo em junho foi de US$ 490,3 por tonelada, valor 4,1% superior ao mês anterior e 13,1% acima do registrado em junho do ano passado.

Óleo

Segundo o MDIC, o balanço negativo no primeiro semestre para as exportações de óleo de soja mostra que em relação ao mesmo período do ano passado os embarques recuaram 45% em volume (para 513,3 mil toneladas) e 49,5% em receita (para US$ 549,9 milhões). O preço médio também caiu 8,2% e ficou em US$ 1.071 por tonelada.

As exportações em junho somaram 104,9 mil toneladas, volume 14,7% abaixo do desempenho registrado em maio e 26,3% inferior a junho de 2012. A receita somou US$ 107,1 milhões e foi 16,6% inferior a maio desde ano e 24,2% abaixo de junho do ano passado. O preço médio em junho foi de US$ 1.021 por tonelada, valor 2,2% inferior ao mês anterior e 13,9% abaixo de junho do ano passado.

Fonte: Correio do Povo