SOJA – Com Macri, USDA eleva projeção de exportação de soja argentina

Novo presidente será empossado no dia 10 de dezembro e promete isentar taxa sobre vendas externas do grão

A proposta do governo é de reduzir anualmente em 5 pontos porcentuais a taxa de exportação, que inicialmente cai de 35% para 30%.(Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)
O adido do Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA) em Buenos Aires elevou a projeção de exportações de soja para as safras 2014/2015 e 2015/2016. "O presidente eleito Mauricio Macri propôs uma série de mudanças na política de exportação que devem ser implementadas imediatamente após a posse, no dia 10 de dezembro", explicou o adido, afirmando que as alterações devem incentivar as vendas externas de soja.

saiba mais
Preço do farelo de soja cai em novembro na comparação mensal
Soja sofre redução no teor de proteína ao longo do tempo
Para a oleaginosa e seus subprodutos, a proposta do governo é de reduzir anualmente em 5 pontos porcentuais a taxa de exportação, que inicialmente cai de 35% para 30%. Para a temporada 2014/2015 (abril de 2015 a março de 2016), o adido projeta embarques de 11,5 milhões de toneladas, acima do projetado pelo escritório central do USDA, de 11 milhões de toneladas.

A revisão foi feita com base em dados de exportação do início do ano comercial até setembro, que indicam embarques mais volumosos que o projetado anteriormente, maior demanda da China e a confirmação de compromissos de venda fechados para entrega até o fim do ciclo.

Para 2015/16, as exportações devem somar 11 milhões de toneladas, de 10,7 milhões de toneladas anteriormente. "Analistas locais e produtores esperam ganhos de competitividade e melhor lucratividade nas exportações", apontou o adido. No entanto, o relatório alerta que as vendas "massivas" esperadas por muitos no mercado internacional são improváveis nesse momento e dependem de fatores macroeconômicos, como ajustes na taxa de câmbio.

POR ESTADÃO CONTEÚDO
Fonte : Globo Rural