.........

São Paulo PERDE RESERVA HÁ CINCO ANOS

.........

Foto: ESTADÃO CONTEÚDO

– Antes de chegar ao nível de desabastecimento visto hoje, o volume armazenado no Sistema Cantareira, o principal reservatório de São Paulo, vem caindo desde 2009. Naquele ano, o nível era de 80%. Mas, desde então, houve quedas anuais sucessivas.

Nos meses de novembro, os níveis de armazenagem apurados pela Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) foram de: 76% (2010), 69% (2011), 55% (2012), 36% (2013) e 12% (2014). O dado deste ano já considera o montante adicional da reserva técnica – o volume morto. Apesar da chuva dos últimos dias, o nível da Cantareira ficou estável, em 11,9%.

Nos outros dois grandes reservatórios que abastecem a capital paulista, a situação é parecida. No Alto Tietê, o volume armazenado passou, desde o começo do ano, de 46% a 9%. No Guarapiranga, o volume ainda não chegou a um nível tão baixo – passou de 69% para 38%.

Nos demais sistemas que abastecem a cidade de São Paulo, os níveis também não estão tão críticos. São eles: Alto Cotia (30%), Rio Grande (68%) e Rio Claro (41%).

Fonte: DCI