São Martinho fará aportes em etanol

Em um anúncio pouco usual nos últimos anos no setor sucroalcooleiro, o grupo São Martinho comunicou ontem ao mercado que vai investir R$ 41,7 milhões para ampliar sua produção de etanol. Os recursos serão aplicados na unidade Santa Cruz, localizada em Américo Brasiliense (SP), e vão reforçar a sinergia com a maior usina do grupo, a São Martinho, localizada em Pradópolis (SP), a cerca de 40 km da Santa Cruz.

Adquirida em maio de 2014 com capacidade para processar 4,5 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, a Santa Cruz será ampliada para moer, em 2017/18, 5,2 milhões de toneladas – elevando a moagem do grupo em 700 mil toneladas, para 21 milhões. Praticamente todo o aumento será destinado à produção de etanol. Com isso, a fabricação do biocombustível nessa unidade será ampliada em 58 milhões de litros, saindo dos atuais 142 milhões para 200 milhões de litros. A produção de açúcar vai aumentar marginalmente em 6 mil toneladas, para 353 mil toneladas, e a cogeração subirá 38 mil Megawatt/hora (MW/h), para 258 mil MW/h.

Nos cálculos do diretor financeiro e de relações com investidores da companhia, Felipe Vichiatto, a São Martinho obterá o retorno do capital investido em menos de dois anos. "Trata-se de um valor pequeno perto da capacidade adicional que vamos ganhar. O múltiplo desta operação é de US$ 15 por tonelada de cana", acrescentou Vichiatto.

O presidente da São Martinho, Fábio Venturelli, afirmou que a decisão de investir no aumento da produção de etanol na Santa Cruz foi tomada depois de a empresa ter verificado que a indústria tinha gargalos. E que baixos investimentos poderiam permitir o aumento da capacidade.

Houve também oportunidades de arrendamento de terras na região que, juntamente com ganhos de produtividade nas áreas de cana já existentes, vão garantir a oferta da matéria-prima para atender à nova demanda da Santa Cruz em 2017/18. "Foi uma combinação de fatores que viabilizou o investimento. Os preços mais altos do etanol só foram a cereja do bolo", disse o presidente da São Martinho.

Por Fabiana Batista | De São Paulo

Fonte : Valor