.........

SISTEMA FINANCEIRO – Oferta de crédito será abundante na Expodireto

.........

O governo federal está garantindo abundância de recursos para aquisição de máquinas e ainda promete acrescentar cerca de R$ 2,5 bilhões extras ao Moderfrota caso seja necessário, diz Wilson Araújo, diretor do Departamento de Crédito e Estudos Econômicos do Ministério da Agricultura. De julho de 2016 a janeiro de 2017, foram utilizados pelos produtores R$ 4,7 bilhões dentro do programa de modernização de máquinas, de acordo com o ministério.

Mais do que pensar em juros e prazos, porém, o alerta do economista da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul), Antônio da Luz, é para que o produtor dimensione exatamente o que precisa e pode pagar. "Muitas vezes, o agricultor é seduzido por ofertas de crédito e de juros baixos e acaba comprando o que não precisa", alerta o economista.

A recomendação de Luz é fazer primeiro a lição de casa (dimensionar que tipo de equipamento é necessário) para só então bater perna na feira e negociar o financiamento. "Só depois disso siga para as propostas bancárias", ressalta o economista da Farsul.

Bancos presentes no parque

  • BRDE: Disponibilizará R$ 200 milhões nesta edição, repetindo o volume de 2016. No ano passado, as solicitações de financiamento recebidas durante o evento somaram R$ 102 milhões.
  • Bradesco: A instituição, que vem reforçando usa presença no agronegócio, chama a atenção pela variedade de linhas oferecidas, que incluem custeio agrícola e pecuário, Bndes ABC e Inovagro, Moderinfra, Finame e outros.
  • Banco do Brasil: Oferecerá pré-aprovação de limites visando à agilidade no processo de crédito. A linha Investe Agro é outra novidade para suprir demanda de investimentos em máquinas usadas, máquinas importadas, “linha amarela” (retroescavadeira, pá carregadeira), veículos de carga, correção de solo, reforma de pastagens, aquisição de animais para cria e reprodução, entre outros.
  • Banrisul: Os financiamentos estarão focados nas linhas de crédito com recursos repassados pelo Bndes, entre elas o Moderfrota, Moderagro, Inovagro, Moderinfra Irrigação e o PCA Construção e Ampliação de Armazéns (destinado a grãos, frutas, tubérculos, bulbos e hortaliças). Para os agricultores familiares, serão financiados bens destinados para armazenagem, irrigação, aquisição de ordenhadeira e materiais para cultivo protegido.
  • Bndes: Divulgará intensamente o app Bndes Agro, que reúne diversas funções para auxiliar os interessados em realizar operações com o banco, trazendo informações sobre as linhas oferecidas ao agronegócio e microcrédito e até um simulador financeiro, que ajuda o usuário na avaliação prospectiva de suas prestações.
  • Sicredi: Terá disponível R$ 220 milhões para seus associados durante a Expodireto Cotrijal. Para 2017, o Sicredi traça cenários nos quais o agronegócio brasileiro deve manter seu nível de desenvolvimento e buscará atender aos perfis de produtores e agroindústrias de diversas cadeias produtivas.
  • Santander: Nos dias de evento, todo bem protocolado como garantia estará isento da taxa flat (percentual que incide sobre o valor total da compra). O objetivo do banco é antecipar o valor para a compra de insumos para a produção do período e oferecer uma boa oportunidade do produtor rural negociar melhores preços e assegurar os insumos necessários do ciclo agrícola.
  • Caixa Econômica Federal: Um dos destaques é para a linha de Custeio Antecipado, que possibilita o acesso a recursos para custear as lavouras até 270 dias antes do início do plantio da Safra Verão 2017/2018. A linha está disponível para as principais culturas, como soja, milho e arroz e conta com análise técnica automática para propostas de até R$ 500 mil.
  • Badesul: Um dos destaques operados é o Moderagro, para apoiar e fomentar os setores da produção, beneficiamento, industrialização, acondicionamento e armazenamento de produtos da apicultura, aquicultura, avicultura, chinchilicultura, cunicultura, floricultura, fruticultura, palmáceas, olivicultura, produção de nozes, horticultura, ovinocaprinocultura, pecuária leiteira, pesca, ranicultura, sericicultura e suinocultura.
  • Fonte : Jornal do Comércio