.........

Sistema CNA/SENAR e Caixa assinam protocolo de intenções para impulsionar assistência técnica com crédito rural

.........
 

Fábio Lenza, Vice-Presidente da Caixa; Daniel Carrara, Secretário-Executivo do SENAR; João Martins, Presidente da CNA

Brasília, 13 de agosto de 2015 – Tendo como objetivo impulsionar a concessão de crédito rural aos produtores brasileiros através do Programa de Assistência Técnica e Gerencial do Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), a entidade e a Caixa Econômica Federal (CEF) assinaram um protocolo de intenções nacional nesta quarta-feira (12/8). A cerimônia, realizada na sede do Sistema CNA/SENAR, aconteceu juntamente com o encerramento da capacitação sobre crédito rural orientado, que treinou 21 supervisores do Programa de oito Estados (Bahia, Espírito Santo, Maranhão, Mato Grosso do Sul, Pará, Piauí, Rio de Janeiro e Tocantins) desde ontem.

O presidente do Sistema CNA/SENAR, João Martins, destaca que o papel da instituição é buscar condições para o produtor rural produzir e dar continuidade ao crescimento que a atividade vem obtendo nos últimos anos, com recordes seguidos de produção. Para João Martins, a parceria vai agregar condições para que essa sequência se mantenha e os produtores possam trabalhar com mais tecnologia.

“O SENAR tem tido uma constante busca por condições de financiamento e acesso à tecnologias no campo para os produtores e trabalhadores rurais. Não entendemos porque a assistência técnica foi desprezada no Brasil por muitos anos, mas essa parceria é consistente. O Programa do SENAR vai permitir que a Caixa tenha garantia de retorno dos recursos aplicados”, avalia.

O vice-presidente da Caixa Econômica Federal, Fábio Lenza, também reforça a importância da assistência técnica para que o crédito rural possa trazer resultados efetivos para os produtores. Na opinião dele, com o planejamento realizado pelos técnicos do SENAR, os recursos serão utilizados pelos produtores corretamente e “não por impulso”, o que vai gerar receita para pagar o financiamento e margem de lucro.

“O produtor que toma crédito com orientação tem chances bem maiores de pagar e ter retorno na sua atividade. É um setor que tem uma necessidade de tecnificação muito alta e o crédito é importante, mas é preciso utilizá-lo com consciência. Precisamos da capilaridade e do conhecimento do SENAR para que essa parceria tenha sucesso”.


Solenidade reuniu representantes das duas instituições

Para o coordenador nacional de Assistência Técnica e Gerencial do SENAR, Matheus Ferreira Pinto da Silva, a cooperação vem em um momento oportuno e terá um potencial de atendimento muito grande no País. Ele destacou pontos importantes do primeiro treinamento realizado – como produtos de crédito disponíveis, processo de análise e concessão, sistema de acompanhamento e exercícios nas planilhas da Caixa – e afirmou que a expectativa é que sejam realizadas várias capacitações semelhantes.

“É muito importante contar com um parceiro como a Caixa para impulsionar a nossa metodologia de assistência técnica e gerencial. Existe uma grande demanda dos produtores por uma fonte de recursos para implementar aquilo que os nossos técnicos orientam. Estamos empolgados com os primeiros resultados dessa parceria”, declara.

A solenidade também contou com a presença do secretário-executivo do SENAR, Daniel Carrara; do vice-presidente diretor do Sistema CNA/SENAR, Mário Pereira Borba; do superintendente Técnico da CNA, Bruno Lucchi; do superintendente nacional de Agronegócios da Caixa Econômica Federal, Márcio Vieira Recalde; e do gerente de Clientes e Contas da área de Agronegócios da Caixa, André Prates.

Primeira turma de multiplicadores


Justino Mendes, do Mato Grosso do Sul

O consultor técnico da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso do Sul (FAMASUL) Justino Mendes, que participou do treinamento sobre crédito rural orientado, avalia que as atividades foram fundamentais para a compreensão dos planos oferecidos pela instituição bancária e para a simplificação dos procedimentos junto aos produtores. Ele elogia criação de mais um portfólio para auxiliar o produtor na obtenção de recursos para a atividade e os benefícios que serão gerados pela parceria.

“No Mato Grosso do Sul já temos, aproximadamente, mil produtores recebendo assistência técnica do SENAR. Eles são potenciais clientes para a Caixa, pois possuem os dados levantados e são atendidos pelos nossos técnicos. O recurso é bem aceito no setor rural, que responde rápido quando tem um projeto bem formulado e acompanhamento”.


Geysa Ribeiro, do Tocantins

Na visão da supervisora técnica do Programa Travessia Leite, Geysa Pereira Ribeiro, o crédito rural é essencial para a bovinocultura de leite, pois a atividade depende muito da tecnificação para que os produtores possam agregar valor aos seus produtos e ter retorno financeiro. Segundo ela, o programa atende com assistência técnica, aproximadamente, 1.800 produtores do Tocantins. Com o apoio da Caixa e as orientações técnicas do SENAR, Geysa acredita que será possível fazer investimentos em novas tecnologias, pastejo rotacionado irrigado e melhoria na genética dos animais da região, que nem sempre tem aptidão leiteira.

“A tecnificação proporciona aumento de produtividade, melhoria na qualidade do leite e facilita o trabalho dos produtores. Isso tudo somado, permitirá ao produtor agregar valor ao produto. Ele poderá, por exemplo, vender o seu queijo formalmente e isso é importante para o enriquecimento da cadeia de maneira geral”, observa.

Geysa destaca como pontos positivos da capacitação a presença de agrônomos na equipe de crédito rural da Caixa – o que facilita a linguagem e a troca de informações com a turma – e a parte prática, onde os participantes puderam trabalhar as tabelas com casos reais.

Assessoria de Comunicação do SENAR

Fonte : Canal do Produtor