.........

Sipaf 2.000 é entregue durante lançamento do Plano Safra no Rio

.........

“A razão da existência da nossa Secretaria são os agricultores familiares", disse o secretário da Sead, José Ricardo Roseno, durante o evento

Na centenária Universidade Federal Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ), que fica na cidade de Seropédica (RJ), a Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário (Sead) entregou, nessa quarta-feira (23), a permissão de uso número 2.000 do Selo de Identificação da Participação da Agricultura Familiar (Sipaf). A ação foi realizada durante o lançamento do Plano Safra da Agricultura Familiar no estado fluminense. Ainda no evento, organizado pela Delegacia Federal do Desenvolvimento Agrário do Rio de Janeiro (DFDA-RJ), foi assinado um Termo de Compromisso, com o governo do estado, que prevê a disponibilização de recursos financeiros na ordem de R$21 milhões, destinados a impulsionar as políticas de reordenamento agrário na região.

O secretário da Sead, José Ricardo Roseno, que se formou engenheiro agrônomo na UFRRJ, voltou à Universidade, 25 anos depois, para participar do evento e realizar a entrega do Sipaf 2.000. “A razão da existência da nossa Secretaria são os agricultores familiares e parabenizo a senhora Jocila da Silva Nascimento, do quilombo Mutum, que hoje recebe o Selo, representando toda a comunidade quilombola do estado do Rio de Janeiro e demais agricultores familiares aqui presentes”, disse Roseno, para um público de aproximadamente 250 produtores rurais e representantes do setor.

Outras 100 permissões de uso do Selo foram entregues para o estado, demonstrando o esforço da DFDA-RJ na identificação dos beneficiários da região. Com essas entregas, o Selo chega à marca de 900 permissões emitidas apenas pela atual gestão da Sead. Segundo Simone Barreto, coordenadora do Sipaf, a identificação dos produtos com o selo da agricultura familiar é importante para que a sociedade passe a reconhecer a categoria. “O tema da agricultura familiar vem sendo discutido, nesses poucos mais de 20 anos de políticas públicas para o setor, mas a sociedade em geral ainda não consegue fazer a diferenciação do que é produzido pelo rural brasileiro”, afirma Simone, ressaltando que o Selo traz essa possibilidade de reconhecimento e de entendimento do quanto o setor é importante para geração de renda e inclusão do homem do campo.

Com as entregas no Rio de Janeiro, as permissões de uso do Sipaf em todo o país alcançarão mais de 152 mil agricultores familiares beneficiados. Ao longo dos oito anos do Sipaf, já foram identificados mais de 26 mil produtos de origem da agricultura familiar, sendo eles produtos de origem animal, vegetal e artesanato.

Agricultura familiar no RJ

Segundo o último Censo Agropecuário, o estado do Rio de Janeiro apresenta mais de 44 mil estabelecimentos, que representam 75% do total das propriedades rurais, sendo responsáveis por 58% dos postos de trabalho no campo nesse estado. Os estabelecimentos familiares cariocas são responsáveis pela produção da maior parte da produção agrícola do estado. Produzem 68% do feijão, 75% da mandioca, 67% do milho em grão, 55% do arroz e 52% do café.

A delegada da DFDA-RJ, Danielle Barros, disse que realizar o lançamento do Plano Safra na UFRRJ foi uma estratégia pensada para levar o tema diretamente à ponta. “A Universidade é um desses lugares que garante que os nossos agricultores se sintam parte das políticas públicas da Sead”, explicou Danielle, completando que a escolha da data também foi estratégica, já que toda quarta-feira a UFRRJ realiza uma feira da agricultura familiar no campus de Soropédica.

Balanço do Pronaf

O diretor substituto do Departamento de Financiamento e Proteção da Produção da Subsecretaria de Agricultura Familiar (SAF/Sead), José Carlos Zukowski, apresentou os números do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Segundo ele, na safra 2016/2017 o estado do Rio de Janeiro realizou 5.160 operações do Programa, resultando em mais de R$131 milhões financiados. “O estado tem potencial para crescer tanto em números de contratos quanto em valor financiado e a expectativa do Governo é que isso aconteça na safra atual”, disse o diretor, durante a apresentação do Plano Safra da Agricultura Familiar 2017/2020.

Para a safra 2017/2018, o Governo Federal ampliou as ações, utilizando uma metodologia plurianual. Dentro do novo formato, o Plano Safra da Agricultura Familiar 20147/2020 indica 10 eixos de atuação. Leia mais aqui.

Valéria Araújo
Secretaria Especial de Agricultura Familiar e do Desenvolvimento Agrário
Assessoria de Comunicação

Rômulo Serpa / Ascom Sead

Fonte : MDA