Setor de adubos especiais deve crescer 23% em 2017

O faturamento do setor de fertilizantes especiais deve atingir R$ 7 bilhões em 2017, crescimento de 23% sobre o resultado de 2016, aponta estimativa da Associação Brasileira das Indústrias de Tecnologia em Nutrição Vegetal (Abisolo), divulgada nesta quarta-feira (05), em evento em Campinas (SP).

Segundo Anderson Ribeiro, diretor de comunicação da entidade e responsável pela projeção, a indústria de adubos especiais, que envolve organominerais, fertilizantes foliares, orgânicos, condicionadores de solo e substratos para plantas, vem, desde 2004, registrando um crescimento anual acima de 10%. “De 2015 para 2016, o avanço foi de 12%, por exemplo, e as previsões para este ano são otimistas”, disse.

Em sua exposição, o dirigente apresentou dados de pesquisa, realizada pela associação, com cerca de 150 empresas que atuam no setor. Entre outros destaques, o estudo aponta que o mercado é diversificado, contemplando desde startups até multinacionais, e que São Paulo abriga 41% das unidades produtoras do País. “Outro dado identificado pelo levantamento mostra que o custo da matéria-prima para a indústria no segmento é de 45% contra mais de 60% do setor de fertilizantes convencionais”, ressaltou Ribeiro.

No que diz respeito a postos de trabalho, a pesquisa revelou que o setor de adubos especiais emprega cerca de 17 mil pessoas. Em relação aos desafios para manutenção de desempenho do segmento neste ano, o dirigente pontuou que a queda nos preços dos grãos e incertezas acerca do crédito rural e do cenário político do País preocupam.

Ademais, de acordo com Ribeiro, o setor prepara projeto para implantar um sistema de recolhimento de embalagens vazias dos produtos em formato similar ao que já acontece no segmento de defensivos agrícolas. “Para isso, contaremos com apoio do inpEV.”


Datagro

Fonte: Famasul