.........

Semana da Agricultura: expansão se dará com foco na produtividade

.........

A produção de grãos vai aumentar 21% até 2021, enquanto a área crescerá 9%

por Luciana Franco

Ernesto de Souza

Projeções do Mapa indicam que entre 2012 e 2022 a produção de grãos, como o arroz, deve aumentar em 21,1% (Foto: Ernesto de Souza/Ed. Globo)

Desde a década de 90 o modelo agrícola brasileiro passou por uma radical mudança: o Estado diminuiu sua participação e o mercado passou a financiar a agricultura. Hoje, com a responsabilidade de aumentar em 40% aprodução de alimentos até 2020, segundo estimativas daFood and Agriculture Organization (FAO), o Brasil investe no aumento da produtividade, na mecanização (com redução dos custos) e na profissionalização. Com isso, diversos produtos devem apresentar aumentos expressivos de produção nos próximos anos. Mas a liderança deve ser dasoja em grão, que deverá crescer 25,1% até a safra2021/22, segundo levantamento realizado pelo Ministério da Agricultura (Mapa).
O crescimento da produção agrícola no Brasil deve continuar acontecendo com base na produtividade. Os resultados do estudo do Mapa indicam maior acréscimo da produção agropecuária que o aumento de área. As projeções indicam que entre 2012 e 2022 a produção de grãos (arroz, feijão, soja, milho e trigo) deve aumentar em 21,1%, enquanto a área deverá expandir-se em 9%. As estimativas realizadas até 2021/2022 são de que a área total plantada com lavouras deve passar de 64,9 milhões de hectares em 2012 para 71,9 milhões em 2022. Um acréscimo de 7 milhões de hectares. Essa expansão de área está concentrada em soja, mais 4,7 milhões de hectares, e na cana-de-açúcar, mais 1,9 milhão.
A expansão de área de soja e cana de açúcar deverá ocorrer pela incorporação de áreas novas e também pela substituição de outras lavouras que deverão ceder área. O milho deve ter uma expansão de área por volta de 600 mil hectares. Apesar de o Brasil apresentar, nos próximos anos, forte aumento das exportações, o mercado interno continuará sendo um importante fator de crescimento.

Em 2021/2022, 56,0% da produção de soja devem ser destinados ao mercado interno, e no milho, 84,0% da produção devem ser consumidos internamente. Haverá, assim, uma dupla pressão sobre o aumento da produção nacional, devido o crescimento do mercado interno e das exportações do país. “ O Brasil será o protagonista da produção de alimentos na próxima década”, diz Roberto Rodrigues, coordenador de agronegócios da FGV.

Fonte: Globo Rural