.........

Seis mil famílias do Rio Grande do Sul devem ser beneficiadas com programa de combate à miséria no campo

.........

Objetivo é aumentar capacidade produtiva das pequenas propriedades e facilitar entrada de produtos no mercado

Daniela Azeredo | Porto Alegre (RS)

Andréa Graiz

Foto: Andréa Graiz / Agencia RBS

Programa deve beneficiar seis mil famílias no campo

Seis mil famílias do Rio Grande do Sul devem ser beneficiadas com o programa de combate à miséria no campo. O objetivo é aumentar a capacidade produtiva das pequenas propriedades e também facilitar a entrada de produtos no mercado.
Cerca de 108 mil famílias que vivem no meio rural do Estado estão cadastradas no programa Bolsa Família do governo federal, de acordo com o censo de 2010. Até o final do ano espera-se que seis mil recebam outros benefícios através do projeto de fomento à inclusão produtiva rural.
A primeira reunião regional no Estado ocorreu na tarde de segunda, dia 3, em Pelotas, no sul gaúcho. As famílias que participaram do encontro receberam orientações de como vão funcionar os critérios de seleção.
Para o secretário estadual Desenvolvimento Rural, Ivar Pavan, o benefício é um incremento na renda do produtor rural.
— Que eles possam produzir para o alto consumo e o excedente da produção possa ser comercializado para alimentação escolar e nos programas públicos, como o programa de aquisição de alimentos e na comercialização de feiras — afirma Pavan.
Para participar é preciso que o município tenha o Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) baixo, a família precisa ter renda per capita de R$ 70,00, cartão Bolsa Família e a Declaração de Aptidão do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf). Quem não tiver os dois últimos pode providenciar.
Os selecionados receberão uma bolsa de R$ 2,4 mil por família para a compra de insumos e ferramentas. O pagamento será realizado em três parcelas até o final do ano.
— Nós já temos os critérios, as regiões e o número de famílias beneficiadas por municípios. A partir dessa seleção, a Emater inicia a elaboração do projeto em cada propriedade para incluir a família no cadastro do Ministério do Desenvolvimento Social. No momento que ela estiver incluída no cadastro, a família poderá receber os primeiros recursos para aquisição de sementes e de insumos para viabilizar o projeto da na sua propriedade — completa o secretário.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr