Secretaria adverte para certificação de sanidade em meio à Expointer

Cuidados serão mais rígidos em razão do primeiro caso confirmado de mormo no RS

A dias do início da Expointer, criadores e expositores de cavalos terão de obter e apresentar certificados de sanidade animal. Os cuidados devem ser mais rígidos para a edição de 2015 em razão do primeiro caso confirmado de mormo no Rio Grande do Sul. O registro da doença ocorreu em Rolante, no mês de junho.

Conforme o responsável pelo programa de sanidade de equinos da Secretaria Estadual da Agricultura, Gustavo Dihl, é importante observar o prazo de validade da certidão de sanidade. “Tendo o exame negativo, os animais podem participar em eventos como Expointer, cavalgadas e acampamentos. O que vai nos garantir a saúde dos animais é o teste negativo dentro do prazo de validade”.

Como se trata de infecção, não há risco de surto como no caso da febre aftosa, em que as partículas de vírus podem ser transmitidas pelo ar, conforme Dihl. “A transmissão é realizada pelo contato direto. O que não podemos é abrir mão do controle direto e, no caso de animal com a doença, o sacrifício precisa ser feito o mais rápido possível”.

A Secretaria informou ter indícios de que a doença do mormo surgiu antes em Santa Catarina. A hipótese é de que algum cavalo do estado vizinho tenha ingressado sem registro. A infecção provoca corrimento nasal, febre e dificuldade respiratória.

Prejuízo a desfiles

Municípios como Bagé, Dom Pedrito e Piratini já informaram que, em função da doença, os desfiles farroupilhas de setembro não devem ocorrer ou sofrerão restrições. Em Porto Alegre, o presidente do Movimento Tradicionalista Gaúcho, Manoelito Savaris, que compõe a comissão organizadora do desfile, admitiu que o evento pode ocorrer com número menor de participantes.

Fonte : Correio do Povo