.........

Seca faz Vanguarda Agro reduzir o plantio de soja

.........

A Vanguarda Agro, uma das principais produtoras de grãos e fibras do país, decidiu reduzir sua área plantada de soja na atual safra 2014/15 em 8,2%, de 165 mil para 151,5 mil hectares, em função dos problemas trazidos pela falta de umidade em Mato Grosso. "Ficamos três semanas sem chuvas no Estado e teve soja semeada no fim de setembro que não nasceu", disse na sexta-feira Arlindo de Azevedo Moura, CEO da companhia, durante teleconferência sobre os dados do balanço do terceiro trimestre de 2014, divulgado no dia anterior.

A Vanguarda Agro registrou um prejuízo líquido de R$ 53,9 milhões no trimestre encerrado em 30 de setembro, ante o resultado líquido negativo de R$ 66,5 milhões no mesmo intervalo de 2013. A receita líquida no período totalizou R$ 60,420 milhões, queda de 20,4% na mesma comparação.

Conforme Moura, a opção em cortar o plantio da primeira safra de soja foi necessária para cumprir as janelas ideais de semeadura de cada cultura e manter o foco na produtividade. Assim, os 13,5 mil hectares antes destinados à oleaginosa foram redistribuídos para algodão de primeira safra (6,82 mil hectares) e milho de segunda safra, a "safrinha" (6,65 mil hectares).

O plantio total da Vanguarda em 2014/15 também foi revisto para baixo, de 270,4 mil para 254,2 mil hectares, por conta da devolução de arrendamentos e da inviabilização da segunda safra de algodão em algumas áreas, fruto do atraso causado pela seca. "Mas na última semana a chuva começou a se normalizar em Mato Grosso e a evolução do plantio foi boa. Também iniciamos o plantio na Bahia, com chuva satisfatória", afirmou Moura.

Até o momento, a Vanguarda já semeou 60% da área prevista para a soja. A companhia mantém a expectativa de produtividade de 53 sacas por hectare, acima das 49 sacas do ciclo anterior. Entretanto, a colheita da safrinha de milho 2013/14 foi encerrada no último trimestre com um rendimento 13,2% inferior à meta (91 sacas por hectare), por conta do tempo ruim ao longo da temporada.

Os temores com o clima não apenas no Brasil, mas também nos EUA, motivaram uma reação nos preços dos grãos nos últimos dias, o que estimulou a Vanguarda Agro a fechar novos negócios. A companhia já vendeu 34% da safra 2014/15 de soja, ao preço médio de US$ 20,70 por saca (ou US$ 9,38 por bushel). Atualmente, a commodity oscila na bolsa de Chicago entre US$ 10,40 e US$ 10,60 por bushel.

Mas, diante do cenário ainda pessimista para os grãos, a Vanguarda avalia uma redução de capex (investimentos em máquinas e equipamentos). "O plano de capex para 2015 está em torno de R$ 20 milhões, com investimento basicamente em solo", disse Cristiano Soares Rodrigues, CFO da companhia. No início do ano, a empresa previa aportes de cerca de R$ 40 milhões em máquinas e estruturas de armazenagem. A Vanguarda ressaltou que a redução será feita "desde que não comprometa as produtividades de suas culturas".

© 2000 – 2014. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3762752/seca-faz-vanguarda-agro-reduzir-o-plantio-de-soja#ixzz3I0JXWtwX

Fonte: Valor | Por Mariana Caetano | De São Paulo