.........

"Safrinha" de milho pode superar safra principal – Vaivém

.........

A segunda safra de milho pode, pela primeira vez, superar a produção da principal safra do cereal.

A AgRural estima a "safrinha" de milho em 39 milhões de toneladas -10% maior do que a primeira safra, de 35,4 milhões de toneladas.

Daniele Siqueira, analista da AgRural, ressalta, porém, que é preciso aguardar o desenvolvimento da colheita para confirmar a expectativa.

Mas os números divulgados ontem pela CONAB (COMPANHIA NACIONAL DE ABASTECIMENTO), mais conservadores, já mostram uma produção bem próxima à da safra de verão, projetada em 34,9 milhões de toneladas.

A CONAB elevou em 1,7 milhão de toneladas sua estimativa para a safrinha, para 34,5 milhões de toneladas.

O clima foi muito favorável ao desenvolvimento das lavouras, principalmente no Paraná e em Mato Grosso, responsáveis por 70% da produção nesta época. Como elas estão em estágio avançado de maturação, estão salvas de imprevistos climáticos.

Considerando a primeira e a segunda safras, o Brasil colherá 69,5 milhões de toneladas de milho na safra 2011/12, segundo a CONAB. Será a primeira vez que a produção de milho superará a de soja desde a safra 2000/2001.

A confirmação da "safrona" de milho vem acompanhada de seca nos EUA. A expectativa de quebra da safra no país levou ontem o preço do cereal ao maior valor desde junho de 2011, com alta de 6,8% em Chicago.

Mas a alta lá fora não é garantia de renda maior para o produtor brasileiro. A cotação no país cai 7% desde janeiro, segundo pesquisa da Folha, mesmo após uma reação nos últimos dias estimulada pelos preços nos EUA.

Como boa parte da produção foi vendida antecipadamente, a aposta para lucrar mais está no mercado externo, que estará mais aberto ao milho brasileiro se o tamanho das perdas nos EUA for, de fato, tão grande quanto o mercado antecipa na Bolsa.

Estoque alto A produção recorde elevará em 120% os estoques brasileiros de milho ao final da safra 2011/12, para 13 milhões de toneladas, estima a CONAB. É o maior volume estocado da história.

Mais exportação Para que os estoques não fiquem ainda maiores, o Brasil deve exportar 12 milhões de toneladas de milho nesta safra (aumento de 29%), segundo dados da CONAB.

Esforço Para atingir esse número, os produtores de milho terão de exportar 1,7 milhão de toneladas por mês até dezembro, calcula Daniele Siqueira, da AgRural. A última vez que o Brasil exportou volume semelhante foi em setembro de 2010.

PETRÓLEO

-0,50%

Ontem, em Nova York

COBRE

+0,86%

Ontem, em Londres

Soja atinge maior valor desde 2008 em Chicago

A soja fechou ontem no maior valor desde as máximas históricas de julho de 2008 na Bolsa de Chicago.

O primeiro contrato encerrou o dia cotado a US$ 16,26 por bushel (27,2 quilos), bem perto do recorde de US$ 16,58 no início de julho de 2008.

Ontem, a alta foi de 3,4%. Em 30 dias, chega a 20,5%.

O clima continua como principal influência do mercado, que aguarda revisão na estimativa para a safra americana na próxima semana.

Além disso, o apetite dos investidores por commodities voltou com a melhora do cenário externo. "Com a trégua no campo financeiro, a soja mostrou o seu potencial de alta", afirma Leonardo Menezes, analista da Céleres.

A oferta de soja já está apertada por conta da seca na América do Sul, que provocou perdas na produção do Brasil e da Argentina.

Fonte: FOLHA DE S. PAULO – SP | TATIANA FREITAS (interina)