.........

Safra recorde impulsiona venda de aviões agrícolas da Embraer

.........

O clima quase "perfeito" da safra de grãos 2016/17 e a retomada da confiança na economia impulsionaram as vendas da fabricante de aeronaves Embraer. A companhia já bateu a meta de vender, no mínimo, 15 aeronaves Ipanema – modelo usado na agricultura – no ano. Em 2016, apenas duas aeronaves foram vendidas.

O Ipanema é o mais popular no segmento no Brasil. De acordo com dados da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), o país tem hoje cerca de 2 mil aviões agrícolas. Aproximadamente 60% das aeronaves são do modelo Ipanema. Neste ano, as vendas devem chegar a 20 aeronaves, acredita Alexandre Solis, diretor da unidade de Botucatu da Embraer.

O modelo é vendido no Brasil desde 1972, mas ganhou ainda mais popularidade em 2004 quando passou a funcionar com etanol – o mesmo vendido em postos de gasolina -, o que reduziu em 22% o custo de operação. De acordo com Solis, entre 95% e 98% das vendas são do modelo a álcool. A durabilidade do equipamento é alta: chega a 30 anos se a manutenção for feita regularmente. Das 1,3 mil unidades vendidas pela empresa até hoje, Solis estima que 1,1 mil ainda estejam em uso.

Com o avanço da produção agrícola no país – a safra de grãos 2016/17 deve totalizar 231 milhões de toneladas-, o investimento no equipamento, de R$ 1,530 milhão, para evitar perdas e diminuir o tempo despendido nas aplicações faz mais sentido. É possível fazer aplicação em mil hectares por dia com a aeronave, enquanto o modelo terrestre só alcança até 400 hectares. O custo médio de operação do avião, diz Solis, fica entre R$ 7 e R$ 9 por hectare, dependendo da cultura.

Com as vantagens de economia de tempo e menores perdas durante as aplicações, a frota aeroagrícola cresceu em média, de 2009 a 2016, 5% ao ano, segundo a Anac.

O executivo da Embraer acredita que o ritmo de vendas deve seguir em 2018, se a confiança for retomada e o clima ajudar de novo. O crescimento da demanda do "Matopiba" – confluência entre Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia – contribui com a expectativa, diz.

Por Kauanna Navarro | De São Paulo

Fonte : Valor