.........

Safra recorde favorece resultados de SLC e Terra Santa

.........

A produção recorde da soja da safra 2016/17 – estimada em 113,9 milhões de toneladas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) – ajudou a impulsionar o resultado das companhias ligadas à produção de grãos.

A SLC Agrícola, uma das principais empresas produtoras de grãos e fibras do país, informou ontem que teve lucro líquido de R$ 78,2 milhões no segundo trimestre deste ano. A empresa havia registrado prejuízo de R$ 74,521 milhões em igual trimestre de 2016. Com o resultado, a SLC fechou o semestre com lucro de R$ 162,1 milhões.

Na mesma toada, a Terra Santa (ex-Vanguarda), também uma das maiores do segmento no país, teve lucro de R$ 12,1 milhões no trimestre passado. No segundo trimestre de 2016, a empresa também havia registrado prejuízo – de R$ 41 milhões – em decorrência da seca provocada pelo El Niño, que afetou as lavouras durante o período de desenvolvimento.

A Terra Santa fechou a primeira metade do ano com lucro de R$ 45,2 milhões, após prejuízo de R$ 56,1 milhões no mesmo intervalo de 2016. Os dados do ano passado foram reapresentados, após a auditoria da KPMG revisar o lançamento do balanço de hedge, explicou o diretor de relações com investidores da Terra Santa, Cristiano Rodrigues.

Com relação à geração de caixa operacional, a companhia terminou o semestre com R$ 37,9 milhões, resultado 46,2% menor que um ano antes. Segundo Rodrigues, a geração de caixa foi penalizada no semestre pela postergação negociada com fornecedores da safra 2015/16, cujo pagamento ocorreu no primeiro trimestre deste ano.

Para a segunda metade do ano as perspectivas para as duas empresas são positivas. Boa parte da produção de algodão, cuja colheita está em andamento, será faturada a partir do terceiro trimestre. A expectativa é que o atual patamar de preços da fibra – acima do de 2016 – aumente o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) de ambas.

A Terra Santa fechou o segundo trimestre do ano com Ebitda de R$ 388 milhões, com margem de 0,3%. No mesmo trimestre do ano passado, o Ebitda havia ficado negativo em 27,4 milhões e a margem havia ficado negativa em 12,7%. A SLC reportou Ebitda de R$ 73,8 milhões no período, aumento de mais de quatro vezes na comparação anual. O resultado exclui os efeitos de ativos biológicos. A margem Ebitda subiu 17 pontos percentuais, para 21,5% no trimestre.

Para a safra 2017/18, a Terra Santa divulgou que aumentará a área destinada ao algodão em 9,2%. A SLC também deve aumentar a área de algodão, afirmou o presidente da companhia, Aurélio Pavinato. No entanto, ele não detalhou a intenção de plantio. Com relação aos custos para a safra 2017/18, cujo plantio ainda será iniciado, Pavinato afirmou que eles ficaram em linha com o temporada 2016/17.

  • Por Kauanna Navarro | De São Paulo
  • Fonte : Valor