.........

Rio Grande do Sul avalia perdas nas lavouras de trigo

.........

As chuvas fortes, os vendavais e o granizo que atingiram diversos municípios gaúchos na semana passada, entre os dias 18 e 19 de setembro, deverão causar perdas nas lavouras de trigo do Estado. Conforme a Emater-RS, que está recebendo as informações municipais sobre os prejuízos causados, os efeitos das tempestades poderão reduzir o rendimento da colheita em diversas áreas produtoras.
Segundo Volnei Righi, assistente-técnico da Emater-RS, 15% dos 47 municípios atendidos pelo escritório regional de Ijuí já apontaram perdas na safra. Em toda a região, foram plantados 230 mil hectares de trigo. “Apenas no município de Ijuí, que tem em torno de 14 mil hectares de lavoura de trigo, cerca de cinco mil registraram algum tipo de prejuízo.”
Em algumas áreas da região foram registrados 120 milímetros de água em poucas horas. A chuva pesada, combinada com os ventos fortes, “deitou” o trigo nas lavouras, o que deve prejudicar o desenvolvimento de grãos. “As plantas estavam na fase de enchimento de espigas. Se ela se dobra, não há formação de grão, e a proximidade com o chão também facilita o ataque de fungos”, explica Righi. Além disso, nos locais atingidos por granizo, as pedras destruíram muitas plantas. Conforme o técnico da Emater-RS, em alguns municípios os prejuízos poderão fazer com que a média de produtividade da região, que é de 40 sacos por hectare, seja reduzida para até 25 sacos por hectare.
Righi lembra que alguns municípios da região já chegaram a realizar solicitações de cobertura pelo Programa de Garantia da Atividade Agropecuária (Proagro), a fim de recuperar perdas dos produtores. No entanto, os números absolutos dos prejuízos só devem ser conhecidos pela Emater-RS na próxima semana.
Entretanto, para os produtores que não registraram perdas devido às chuvas fortes, as expectativas com a colheita estão otimistas. O estado sanitário das lavouras é considerado bom pelos técnicos da Emater-RS, e a expectativa de rendimento mantém-se acima dos 2,5 mil quilos por hectare. Em relação à comercialização, as previsões de preço e liquidez para a safra do Estado também são positivas, devido aos reduzidos estoques no mercado internacional e, sobretudo, às projeções de que a oferta do grão pela Argentina, destinado à exportação, será de apenas 5,5 milhões de toneladas, as expectativas de preço e liquidez.
O mercado tem indicado que já foram negociadas 800 mil toneladas de trigo gaúcho da safra a ser colhida para o exterior. No Estado, conforme a Emater-RS, a saca de 60 quilos está cotada a um preço médio de R$ 28,54, valor pago diretamente ao produtor.

Fonte : Jornal do Comércio