Renegociação da dívida agrícola no BB até dia 30

Montante total gira em torno de R$ 100 milhões no Estado. Até ontem, 40% desse valor já haviam sido acertados

Até 30 de dezembro dez mil produtores rurais do Ceará, que contrataram empréstimos do crédito rural familiar ou empresarial ao Banco do Brasil (BB), podem ser beneficiados com a renegociação de seus financiamentos, ganhando prazos adicionais de até dois anos para começar a pagar. O montante total a ser renegociado no Estado pela instituição gira em torno de R$ 100 milhões. Até ontem, já haviam sido renegociados cerca de R$ 40 milhões ou 40% da dívida, abrangendo quatro mil agricultores e pecuaristas cearenses.
A renegociação, autorizada pelo governo federal em julho passado, tem o propósito de fortalecer a agricultura do semiárido cearense, apoiando agricultores e pecuaristas residentes nos municípios em estado de emergência Foto: kid junior
Segundo o gerente de agronegócio do BB no Ceará, Tarcísio Forster, a renegociação, autorizada pelo governo federal em julho passado, tem o propósito de revitalizar e fortalecer a agricultura do semiárido cearense, apoiando agricultores e pecuaristas residentes de municípios em estado de emergência ou de calamidade pública causados pela estiagem.
"O governo concedeu o alongamento do prazo em dez anos para operações de crédito nas regiões da Sudene, cujas parcelas venceram ou estão por vencer entre 2012 e 2014. Para os produtores familiares, que são aqueles que vivem predominantemente da atividade rural e possuem até R$ 360 mil de receita bruta anual com essa atividade, a primeira parcela do novo financiamento pode ser paga até 2016. Para os demais o prazo se esgota em 2015", explica.
Além do benefício do aumento dos prazos para pagamento, Forster lembra que os produtores familiares que pagam em dia seus financiamentos terão um rebate de 80% no valor da dívida. "Esse bônus é apenas para pecuaristas e agricultores familiares. Os demais não tem bônus, mas têm direito ao alongamento da dívida", alerta.
Bônus

As contratações de crédito rural liberadas pelo Pronaf terão o bônus exclusivo de 80% aplicado no abatimento das parcelas reprogramadas ou do saldo devedor referente às parcelas vencidas e a vencer entre 2012 e 2014, desde que seja liquidado até 2 de janeiro de 2014.
Outro ganho para quem aderir a renegociação é poder tomar novos créditos com instituições financeiras. "Quem não procurar o banco para fazer sua renegociação vai ficar, a partir de 02 de janeiro de 2014, com suas operações em atraso e com dificuldade para tomar crédito. Por outro lado, quem cumpre os prazos tem sua vida econômica saneada e conta com os benefícios do crédito", argumenta.
Encargos

Ainda de acordo com o gerente de agronegócio do BB, os encargos também são diferenciados. "Para os produtores familiares, empréstimos até R$ 10 mil tem encargos financeiros de 1% ao ano. Valores superiores a R$ 10 mil terão encargos de 2% ao ano", comenta.
Para quem não está enquadrado como produtor familiar, Forster afirma que "serão mantidos os encargos originais da operação contratada, variando de 4% a 6,5% ao ano".
Como renegociar

Os produtores rurais interessados em renegociar seus débitos devem se dirigir às agência do Banco do Brasil até 30 de dezembro de 2013 munidos de RG e CPF. "Quem quiser liquidar seu financiamento para ter logo direito ao bônus de 80%, deve levar também o montante para quitar a dívida", lembra.
A renegociação atinge as operações contratadas pelo Pronaf e as de agricultura empresarial. Os beneficiados pela medida poderão renegociar a dívida em até dez parcelas anuais.
ÂNGELA CAVALCANTE
REPÓRTER

Fonte: Diário do Nordeste