.........

Receita dos embarques brasileiros de açúcar diminui 32% em junho

.........

As exportações de açúcar do Brasil despencaram 32% em junho, em consequência das chuvas das últimas semanas – que afetaram a produção nas usinas do Centro-Sul e também o ritmo de embarque nos portos. Segundo dados da Secretaria de Comércio Exterior (Secex/MDIC), foram 1,289 milhão de toneladas embarcadas em junho, 30% abaixo das 1,847 milhão registradas em igual mês de 2011. Em receita, a retração foi de 32%, para US$ 677,5 milhões.

Por conta desse atraso, já há nos portos de Santos (SP) e de Paranaguá (PR) mais de 60 navios programados para embarcar um volume superior a 2,5 milhões de toneladas do produto, segundo levantamento da SA Commodities/Unimar Agenciamentos Marítimos. Essa escassez de curto prazo vem movimentando o mercado nos últimos dias. Ontem, o contrato para março fechou a 21,71 centavos de dólar por libra-peso em Nova York, após patinar entre 19 e 20 centavos durante todo o mês de junho. No mês, o saldo é de alta de 3,62%, segundo o Valor Data.

O apetite chinês pelo produto também aqueceu as expectativas e, do total de açúcar programado para embarcar a partir do Brasil, pelo menos um terço tem o país asiático como destino.

Por causa dessa oferta curta, traders estão buscando açúcar no mercado para cumprir contratos de exportação previamente firmados. A entrega física contra o contrato de julho em Nova York atingiu 1,1 milhão de toneladas da commodity, volume que foi adquirido pelas grandes tradings que operam a commodity, como Cargill e Copersucar.

De acordo com Arnaldo Corrêa, da Archer Consulting, também houve nos últimos dias revisão de produção na Índia, em especial, no principal Estado produtor de cana-de-açúcar, o de Maharashtra, que reduziu de 9 milhões para 8 milhões de toneladas sua estimativa de produção. Além disso, há no mercado algumas dúvidas sobre o tamanho da safra de açúcar de beterraba da Rússia, que é o principal importador de açúcar do Brasil e que nos últimos anos vem reduzindo suas compras por causa do aumento da produção interna. "A Rússia dificilmente conseguirá repetir duas boas safras em sequência", afirma Corrêa.

Os embarques de açúcar entre janeiro e maio deste ano já vinham de queda. Segundo dados do Ministério da Agricultura, com base em informações da Secex, o país exportou nos cinco meses do ano 5,844 milhões de toneladas da commodity (bruto e refinado), 15% abaixo das 6,8 milhões de toneladas embarcadas no mesmo período de 2011.

Em junho, somente de açúcar refinado foram embarcadas 370,2 mil toneladas, queda de 42% em relação a junho de 2011. Em receita, a retração foi de 48%, para US$ 204,2 milhões.

© 2000 – 2012. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/empresas/2736122/receita-dos-embarques-brasileiros-de-acucar-diminui-32-em-junho#ixzz1zZ6GOdRT

Fonte: Valor |