Queda no preço da energia passa longe da agricultura

Apesar de anúncio do governo de redução de 15% a 20% na conta de luz de bandeira vermelha, a CNA não acredita que redução chegue na agricultura irrigada

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Alta da energia preocupa avicultores de SP
Bandeiras tarifárias de energia fazem produtor trabalhar de madrugada na Bahia
MG: alta da energia faz produtor plantar apenas 20% da área disponível
O governo federal anunciou uma estimativa de redução entre 15% a 20% na conta de luz de bandeira vermelha, prevista para setembro. De acordo a Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil (CNA), aredução é muito pequena diante do aumento visto na tarifa de luz, que chegou a 150% em algumas regiões do país

Segundo Nélson Ananias Filho, coordenador de sustentabilidade da CNA, atualmente a energia elétrica equivale a 50% dos custos de produção.

– Essa redução apenas na bandeira não é suficiente. Vai continuar impactando na agricultura irrigada, está desincentivando a adoção dessa tecnologia de irrigação em novas áreas e está impossibilitando as áreas de irrigação já implantadas – pontua.

 

Luiz Figueiredo, agricultor de Cristalina, em Goiás, o maior município irrigante do Brasil, comprova a conclusão da CNA. Ele, que sempre produziu hortaliças como alho, cebola e cenoura, retirou as culturas nesta safra. A conta de energia da propriedade, que em julho de 2014 custava R$ 30.500, um ano depois subiu para R$ 80 mil. O custo do kilowatt/hora cobrado aumentou de R$ 0,13 para R$ 0,30 na sua conta, mais que o dobro.

– Chega a um ponto que, quando é inviável, a gente para de produzir porque não tem como. Se não sobrar dinheiro, a gente não aguenta, né? Eu já ouvi falar em produtor que vai fechar, vai parar, porque não compensa. Porque nós não temos uma segurança de preço. Tudo cai em cima do produtor – afirmou.

ANÚNCIO

Durante o anúncio da contratação de R$ 186 bilhões em novos investimento na área de geração e transmissão de energia elétrica, a presidente Dilma Rousseff afirmou que temos uma situação melhor em relação ao encarecimento da energia elétrica.

– Eu tenho certeza que agora nós estamos em uma situação bem melhor e aí esse encarecimento do fornecimento de luz começa a ser progressivamente revertido. No sábado passado o ministro me informou que começamos a desligar as termelétricas, que é possível graças ao aumento da chuvas e ao enchimento dos reservatórios. Isso vai permitir uma redução no custo da bandeira vermelha.

Cerca de 34% do valor serão investidos até 2018. O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, disse que o aumento visto nas contas de luz em todo o país começa a baixar.

–Faltou chuva e isso, obviamente, obrigou despacho de térmicas e, inclusive, despacho de térmicas fora da ordem impactou sobremaneira os custos de geração de energia e isso alcançou, também, o setor da agricultura. Creio que nós estamos, agora, iniciando um ciclo com viés de baixa na tarifa do setor elétrico e isso vai alcançar, obviamente, também os produtores rurais – ressaltou o ministro.

Fonte:Canal Rural