Prorrogado em um mês prazo para registro da área com soja em MS

Data limite para registro seria 10 de dezembro e passou para 10 de janeiro.
Medida atende reivindicação das entidades representativas do setor.

Plantio de nova safra de soja termina em MS (Foto: Reprodução/ TV Morena)

Sojicultor vai ter até o dia 10 de janeiro para registrar área cultivada com soja no estado
(Foto: Reprodução/ TV Morena)

Portaria da Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal (Iagro) publicada na edição desta terça-feira (8) do Diário Oficial de Mato Grosso do Sul prorroga por um mês o prazo para que o agricultor que está cultivando soja no ciclo 2015/2016 cadastre as informações sobre o plantio. O período, inicialmente, venceria nesta quinta-feira (10 de dezembro) mais foi alongado para o dia 10 de janeiro.

A portaria assinada pelo diretor-presidente da Iagro, Luciano Chiochetta, aponta como justificativas para a dilatação do prazo o calendário previsto no Zoneamento Agrícola de Risco Climático do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) para a cultura, que prevê o plantio até o fim dezembro deste ano e ainda o pedido das entidades representativas dos produtores para que a data limite para o registro fosse adiada.

saiba mais

O registro da área plantada é obrigatório e visa levantar informações sobre o cultivo da oleaginosa para subsidiar a execução de ações de prevenção e controle da ferrugem asiática. A Associação dos Produtores de Soja de Mato Grosso do Sul (Aprosoja/MS), projeta que a área plantada cresça cerca de 4,5% neste ciclo frente ao anterior, passando dos 2,3 milhões de hectares para os 2,4 milhões de hectares.

A Iagro aponta que um dos controles que o cadastro do plantio de soja possibilita é a verificação de que o vazio sanitário da cultura está sendo cumprido. O vazio, que este ano foi de 15 de junho a 15 de setembro, é uma proibição do cultivo justamente para evitar a disseminação da ferrugem asiática, que é considerada uma das principais doenças a atingir a soja.

Segundo a Iagro, para cada propriedade deverá ser feito um cadastro e que o produtor que perder o prazo do cadastramento está sujeito ao pagamento de multas.

Anderson ViegasDo G1 MS

Fonte : Globo