.........

Produtores pensam em abandonar os seringais por causa do preço

.........

Média de preço caiu 30% e a produção acompanhou a queda com 32%.
Crise do setor provoca demissões e reduções de salários.

Cinthia MitsumoriDo Globo Rural

O preço da borracha caiu quase 50% nesta safra. Na região de Barretos, em São Paulo, a crise já provoca demissões e tem produtor pensando em mudar de atividade.

Cerca de R$ 1,50 é a média de preço do quilo da borracha. No ano passado, o valor era de R$ 2,20 e há cinco anos, chegou a R$ 4,20. A média de preço caiu 30% na última safra e a produção acompanhou a queda de 32% por causa da estiagem. Hoje, o país importa látex da Ásia para suprir a demanda.

A região de Barretos é a segunda maior produtora de borracha do estado de São Paulo, principal produtor nacional. Em uma fazenda da região, a manutenção entre as árvores já deixou de ser feita e o mato tomou conta. Os produtores já pensam em abandonar as seringueiras.

Teresa Moraes conta que já reduziu o número de funcionários. Doze eram necessários para cuidar das 26 mil árvores. Cada uma produz, em média, nove quilos de látex por ano, mas agora só quatro trabalhadores cuidam do seringal e se não melhorar nos próximos meses, a produtora está decidida a parar.

Os funcionários moram na fazenda e têm trabalho o ano todo. De setembro à julho fazem a extração da borracha e nos outros meses, preparam as árvores para a sangria. O salário caiu pela metade de uma safra para outra.

Para criar politicas públicas para o produto nacional, um grupo se reuniu e fundou a Associação dos Produtores de Látex do Brasil (Apotex).

“Já temos produtores dos estados de São Paulo, Minas Gerais, Goiás, Tocantins, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, estamos tentando ter representatividade para negociar junto ao governo, então precisamos do maior número possível de produtores e área plantada”, explica a agricultora Elaine Gonçalves.

Fonte: G1