.........

Produtor mineiro mais eficiente

.........

Fonte:  ESTADO DE MINAS – MG  | Senar/Divulgação-11/5/11

Evolução do faturamento bruto da agricultura do estado deve superar o resultado do Brasil

Renda prevista para o café de Minas é de R$ 11,2 bi, com alta de 33,3%

O produtor rural de Minas Gerais está mais eficiente que os homens do campo de diversas outras regiões do país. Prova disso é que o Valor Bruto da Produção (VBP), que mede a renda gerada pela agricultura mineira, neste ano deve aumentar 14,4% em relação ao registrado em 2010. De acordo com projeção do Ministério de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa), tendo como referência dados de maio, a renda no estado deve alcançar R$ 20,7 bilhões. Para o Brasil a previsão é de um aumento de 10% e um faturamento de R$ 198,7 bilhões.

A assessora técnica da Superintendência de Política e Economia Agrícola (Spea) da Secretaria da Agricultura de Minas Gerais Márcia Aparecida de Paiva Silva destaca o crescimento do café, que tem valor previsto de R$ 11,2 bilhões, cifra 33,3% superior à registrada em 2010.

BOM DESEMPENHO A cana-de-açúcar também teve alta representativa, com uma projeção de geração de renda da ordem de R$ 2,8 bilhões, cifra 2,2% superior à obtida em 2010. O resultado do feijão apresenta bom desempenho, com a perspectiva de um valor da ordem de R$ 1 bilhão, cerca de 2,4% superior ao registrado no ano passado.

Márcia de Paiva Silva ainda ressalta a projeção de aumento do VBP do milho, produto que alcança atualmente um expressivo desempenho no mercado. O grão deve registrar neste ano, em Minas Gerais, um valor de produção de R$ 2,5 bilhões, cifra 39,6% superior à de 2010. Além disso, a assessora técnica da Secretaria da Agricultura chama a atenção para o algodão em caroço, que deve alcançar um valor de R$ 121 milhões, crescimento de 110,5% em relação a 2010. O produto, segundo ela, segue em recuperação depois de seu VBP ter registrado retração no ano passado na comparação com 2009.

RECORDE Os bons resultados tanto em Minas quanto no restante do país são atribuídos à valorização dos produtos e à safra recorde prevista para este ano. No país, algodão, café, milho e soja estão entre os produtos que puxaram a lista dos que mais renderam no ano, segundo José Gasques, coordenador de Gestão Estratégica do Ministério da Agricultura.

Mas, se o cenário foi muito bom para os produtores de GRÃOS, o mesmo não ocorreu com os de cebola, batata e tomate, que viram a renda encolher em relação aos rendimentos registrados no ano passado. A maior queda constatada pelo Ministério da Agricultura ocorreu na produção de cebola. A retração chegou a 63% neste ano em relação a 2010.