.........

Produtor chega a perder quase um terço da produtividade em Iowa

.........

Realidade muda em cada região no meio-oeste americano

por Luís Henrique Vieira, de Des Moines e Indianola (Iowa-EUA)

Luiz Henrique Vieira

Produtor mostra plantação de milho em Iowa. Perda de Produtividade (Foto: Luís Henrique Vieira)

Os americanos se preparam para mais uma vez enfrentar uma seca desastrosa. No ano passado, os produtores acumularam cerca de 40 milhões de toneladas em perdas devido ao clima desfavorável. Nesta temporada, apesar das coisas não estarem tão ruins, muitos lamentam o clima seco. Um deles é Joel Onken, de Carroll, no centro-oeste de Iowa (159 quilômetros a oeste da capital Des Moines).
Onken perdeu um terço da produtividade média de milho este ano. Ele costuma produzir 15,87 toneladas por hectare, mas em 2013 sua produção caiu para 6,35 toneladas por hectare. No total, o fazendeiro planta 384,46 hectares com o cereal, sem rotação de culturas.
Mesmo com as perdas, ele não pretende mudar sua estratégia. Deve usar a mesma área em 2014. "A única coisa que faço (para melhorar a produtividade) é usar o plantio direto e nitrogênio", revelou o produtor.
Onken vendeu 635 toneladas, quase 1/4 da sua produção, atencipadamente na bolsa de Chicago. "Aquilo era milho produzido com boa umidade. Agora devo esperar resultados melhores para poder vender", declarou à Globo Rural.
No mesmo estado de Iowa, o produtor Matthew McGinnis teve mais sorte e também utilizou mais recursos para aumentar a eficiência. A fazenda localizada em Indianola, primeiro município ao sul de Des Moines, produz cerca de 9,97 toneladas por hectare de milho e 3,05 de soja, sendo 202,35 hectares a área total para cereal e 121,41 da oleaginosa. O segredo para ter mais produtividade foi mais chuva e o uso de esterco suíno como fertilizante.
"Eu realmente tenho pouco custos. Cuido de porcos para uma empresa e uso o esterco como fertilizante e alugar parte da terra", disse o produtor que conta com quatro empregados.
McGinnis pretende aumentar a área total em 2014 para 485,63 hectares. Em termos de comercialização, pretende esperar melhores preços para vender o milho. "Já a soja devo vender logo, o preço compensa. Mesmo assim, vendi já um terço do meu milho para a Cargill", contou.
Já para o produtor de Eureka, Illinois, Gregory Witmer, o produtividade não foi muito ruim, mas seu problema é a falta de espaço para armazenamento com o preço atual do milho. Ele plantou 1011,74 hectares de milho com uma produtividade de 12,7 toneladas por hectare.
Witmer vendeu mais da metade da produção na bolsa de Chicago e não deve levar mais de um mês para vender o resto. "Tentarei esperar para vender, mas não tenho armazenamento suficiente. Não tenho outra opção", resumiu o produtor.

Fonte: Globo Rural