.........

Produtividade consolida safra gaúcha recorde

.........

Segundo Conab, Rio Grande do Sul colherá 32,5 milhões de toneladas devido à alta rentabilidade do milho e da soja

Luiz Eduardo Kochhann

MARCELO BELEDELI/ESPECIAL/JC

Dados foram recolhidos pela Conab com mais de 90% das lavouras já colhidas no Estado

Dados foram recolhidos pela Conab com mais de 90% das lavouras já colhidas no Estado

As últimas semanas de colheita confirmaram as expectativas de alta produtividade para as culturas de verão no Rio Grande do Sul. Com isso, o milho, o arroz e, principalmente, a soja devem garantir uma safra recorde de 32,5 milhões de toneladas. Os números do 8º Levantamento da Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), divulgados ontem, foram compilados com mais de 90% da área colhida. No documento, a entidade também apresenta as primeiras estimativas para as culturas de inverno, com queda de 10% na área plantada de trigo.
A soja e o milho alcançaram produtividades de 2,8 toneladas por hectare e 6,5 toneladas por hectare, respectivamente, representando crescimento de 8,1% e 17,2% na comparação com a última safra. Dessa maneira, a rentabilidade deve garantir uma produção recorde de soja superior às 14,6 milhões de toneladas, além de 6,1 milhões de toneladas de milho, elevações de 14,1% e 7% em relação a 2013/14. Além disso, o arroz superou problemas com a umidade durante o plantio e terá uma produção de 8,4 milhões de toneladas, 4% a mais do que no ciclo anterior.

"Esse levantamento encaminha a consolidação das culturas de verão, com um excelente patamar de produtividade. Especialmente no caso do milho, isso se deve à tecnologia aplicada, às variedades de sementes e às chuvas nos períodos corretos", explica o superintendente regional da Conab-RS, Glauto Lisboa Melo Júnior. Por fim, a maior produção de milho desde o início da série histórica da entidade será obtida justamente no ciclo em que o grão teve a menor área plantada, com apenas 941 mil hectares. "Como os gaúchos não são autossuficientes e sempre precisam importar, o resultado é importante, pois diminuirá a necessidade de trazer milho de outros estados", completa.
Principal commodity, a soja, que causou receio devido ao aparecimento de doenças durante o desenvolvimento do grão, acabou superando os patamares produtivos dos últimos anos em uma área 5,6% maior. O arroz, mesmo não batendo recorde, teve a segunda maior safra da história, atrás apenas de 2010/11, com uma produtividade de 7,5 toneladas por hectare. "O Rio Grande do Sul segue a tendência nacional para a produção agrícola, sobretudo na soja, com aumento de área e produtividade, o que gera divisas para o Estado e um cenário com produtores bem remunerados e preços sustentados", destaca Melo Júnior.
O levantamento indicou, pela primeira vez, as intenções de plantio para as culturas de inverno. A expectativa da Conab, no momento, é de uma redução de 10% na área plantada de trigo. Depois da quebra da produção observada no ano passado, outras entidades, como a Emater, estimam diminuição de quase 20% neste plantio.
Entretanto, para Melo Júnior, sinalizações favoráveis à demanda pela indústria e empresas fornecedoras de insumos podem recuperar a confiança do produtor durante o calendário agrícola. A produtividade e a produção estimadas para o trigo usam como base os dados estatísticos dos últimos três ciclos no Rio Grande do Sul: 2,6 toneladas por hectare e colheita de quase 2,7 milhões de toneladas.

Fonte: Jornal do Comércio