Previsão turbinada na Expointer

Expectativa é negociar até R$ 2,5 bilhões na feira deste ano, movimentação capitaneada pela indústria de máquinas agrícolas

Sobrou confiança ontem no lançamento da Expointer 2013, almoço que reuniu centenas de representantes do agronegócio, do Executivo, Legislativo e Judiciário na Capital. Excelente colheita em 2012/2013, valorização de soja, milho e arroz, clima favorável, alta do dólar e R$ 1,65 bilhão em crédito à disposição turbinaram as projeções para a mostra, que será realizada de 24 de agosto a 1 de setembro em Esteio. Baseado no panorama econômico, o governador Tarso Genro projetou R$ 2,3 bilhões entre venda de animais, agricultura familiar, artesanato e de propostas encaminhadas de maquinário agrícola. ‘Conseguimos um ambiente de negociação, de trabalho comum, de aparamento de arestas que permitiu ao RS chegar a este momento.’ Na edição passada, a movimentação foi de R$ 2,03 bilhões.

Ainda mais entusiasmado, o presidente do Simers, Claudio Bier, acredita que choverão pedidos e já fala em recorde de R$ 2,5 bilhões somente entre as indústrias de máquinas, que, na edição passada, venderam R$ 2 bilhões. Outro líder de negócios, a raça equina Crioula espera romper a barreira dos R$ 10 milhões frente a R$ 9,5 milhões de 2012. O presidente da Farsul, Carlos Sperotto, concorda que o momento é excepcional, mas adverte: ‘Não se confunda preço excepcional com preço justo’.

Com ambiente favorável para investir, o presidente da Fetag, Elton Weber, acredita que 10 mil agricultores familiares deverão ir à feira, o que significaria movimento 30% superior à média dos últimos anos. Mas aconselha que o agricultor controle o apetite devido ao vencimento de dívidas a serem pagas já este ano. ‘É o melhor dos últimos três anos, com certeza, é momento de investir, mas não de euforia’, frisou.

Weber acredita que, com a demanda de tratores praticamente suprida, os agricultores familiares comprarão reboques, plantadeiras, pulverizadores, silos e veículos, além de equipamentos de irrigação, como pivôs, movimento impulsionado pelo programa de fomento Mais Água, Mais Renda. O secretário da Agricultura, Luiz Fernando Mainardi, lembrou que, após a Expointer da superação no ano passado, esta será a feira da consolidação.

Aproximadamente 700 pessoas participaram do almoço de ontem, na Casa do Gaúcho. Ao contrário dos dois últimos anos, a cerimônia foi mais curta e sem espetáculos teatrais ou circenses. O show ficou a cargo da Orquestra Jovem do Rio Grande do Sul e do coro das Meninas Cantoras de Nova Petrópolis.

Crédito farto

BB – R$ 500 milhões;

Banrisul – R$ 300 milhões;

Badesul – R$ 300 milhões;

Sicredi – R$ 250 milhões;

BRDE – R$ 300 milhões.

Fonte: Correio do Povo