.........

Presidente da Aprosoja MT apresenta viabilidade de grãos no Vale do Jauru

.........

Com intuito de apresentar desafios e oportunidades para o Vale do Jauru, direcionados para o cultivo da soja e do milho, o presidente da Aprosoja, Carlos Fávaro, esteve nesta sexta (26), no município de Mirassol D’Oeste participando da quinta edição dos Fóruns para o Desenvolvimento da Região do Vale do Jauru.

O evento reuniu presidentes das câmaras e representantes de alguns dos municípios que compõem a região, como Figueirópolis D’Oeste, Rio Branco, Cáceres, Lambari D’Oeste, Jauru, Mirassol D’Oeste, São José dos Quatro Marcos e Reserva do Cabaçal, além do deputado estadual Ezequiel Fonseca.

Dentre as pautas, destacaram-se a falta de infraestrutura e atendimento satisfatório na área da saúde, as condições das estradas e a desatenção do governo do estado frente às demandas para alavancar o desenvolvimento da região. Zé Melo, presidente da câmara de Quatro Marcos, e idealizador dos fóruns, foi quem presidiu as conversas que, a cada edição, ocorrem em municípios diferentes.

Durante uma hora, o presidente da Aprosoja tratou das características favoráveis da região para adoção das culturas de soja e milho, como a grande presença de áreas de pastagens favoráveis para cultivo sustentável de milho rotativo com a criação de gado, e a proximidade com a potencial Ecovia Paraguai Paraná, com a construção da Estação de Transbordo de Carga a partir da Fazenda Santo Antônio das Lendas. “A região do Vale do Jauru estaria, mais ou menos, entre 200 e 300 quilômetros do início da Ecovia, e seria a área mais beneficiada por essa rota de escoamento de produção”.

Ainda sobre a Ecovia Paraná Paraguai, Fávaro lembrou que as oposições realizadas por ongs internacionais, nem sempre deixam visíveis todas as intenções. “Não devemos deixar que pessoas de fora, estrangeiras, tomem as rédeas de nossas decisões e nos imputem posicionamentos. Essa Ecovia seria capaz de escoar, com apenas um empurrador fluvial, uma quantidade de grãos referente a 1050 caminhões”, pontua.

Ainda segundo o presidente da Aprosoja, é possível desenvolver a região do Vale do Jauru com produção de grãos tanto em pequena, média ou grande escala. “A potencialidade existe, e de maneira sustentável. Com a implementação do cultivo desses grãos e os ganhos consequentes, aumenta também a quantidade e rotatividade do dinheiro na economia local, e abrem-se novas oportunidades de negócios vinculados à atividade de cultivo”.

Ao final do fórum, o presidente disponibilizou toda a equipe técnica da Aprosoja para sanar curiosidades e dúvidas quanto à cadeia produtiva de soja e milho, e concluiu apontando ótimas projeções para o país na produção de grãos. “O Brasil vai se consolidar, nos próximos quatro anos, como o maior produtor de alimento do mundo, e o estado do Mato Grosso será peça primordial nessa colocação”.

Fonte: AgroNotícias | Assessoria