Premix estuda crescer no Centro-Oeste por meio de aquisições

Guidolin: empresa quer ampliar presença no segmento de gado criado a pasto
Com uma participação já importante do mercado de ração para bovinos engordados em confinamentos, a Premix estuda ampliar sua presença no segmento de gado criado a pasto a partir de aquisições na região Centro-Oeste, afirmou ao Valor o diretor comercial e sócio da empresa, Marco Guidolin.

A companhia ainda não bateu o martelo – e as incertezas econômicas também podem atrasar a definição -, mas o empresário não esconde que a possibilidade de fazer aquisições o agrada. "É uma vontade nossa, até porque é forma de crescer mais rápido. Mas ainda estamos em estudo, montando o plano de negócios", afirmou Guidolin.

Enquanto não decide, a Premix reforça sua atual estratégia de crescimento, mais concentrada na região Norte – nos Estados do Tocantins e Pará. Hoje, Mato Grosso é a principal área de atuação da empresa, respondendo por algo em torno de 20% do faturamento, de acordo com o empresário. Guidolin não quis detalhar o faturamento anual da Premix, mas o número já ultrapassa os R$ 220 milhões.

Com foco "orgânico" no Norte, a companhia pretende ampliar a equipe de vendas na região ainda este ano, com a contratação de um gerente exclusivo para "grandes contas" no Pará, Estado onde estão alguns dos maiores pecuaristas do país. No futuro, a região Norte também poderá contar com centros de distribuição, De acordo com o diretor comercial.

Do ponto de vista produtivo, porém, a estrutura instalada é suficiente para abastecer a demanda da região Norte, segundo Guidolin. Atualmente, a Premix conta com uma fábrica de ração em Araguaína, norte do Tocantins. No ano passado, essa unidade teve sua capacidade de estocagem de ração e armazenagem de grão ampliada, o que permitirá dobrar a produção, com mais turnos de trabalho, disse Guidolin.

Além da planta de Araguaína, a Premix também possui mais duas fábricas, nos municípios de Patrocínio Paulista e Presidente Prudente, ambos no interior de São Paulo. A companhia também conta com centros de distribuição em Itumbiara (GO), Maringá (SP), Juara (MT) e Campo Grande (MS).

Para além do mercado de ração, a Premix segue ampliando a atuação em outras frentes. No mercado de fertilizantes de pastagens, a Premix também mira o mercado de da região Norte. Recentemente, a companhia fechou parceria no Pará com uma misturadora terceirizada para a fabricação de produtos para a Green Fertilizantes, companhia criada em 2012 pela Premix.

Apesar de ainda ser pouco representativa para os negócios da empresa, a Green é considerada fundamental para a estratégia de "intensificação" (ganhos de produtividade) da pecuária brasileira, produzindo mais em uma área de pastagem menor. "Quando você fala em intensificação, não faz isso só com suplementação", defendeu Guidolin. Ainda na área de pastagens, a Premix também é dona da empresa Sementes Paulista.

Por Luiz Henrique Mendes | De São Paulo
Fonte : Valor