.........

PREMIAÇÃO – Governo do PR lança prêmio a agricultores com boas práticas no solo

.........

Prêmio representa uma adesão do estado à iniciativa da Organização das Nações Unidas (ONU) para Alimentação e Agricultura

NOTÍCIAS RELACIONADAS
Nova base mundial de dados vai aumentar conhecimento sobre produtividade dos solos
Projeto da Embrapa Solos pode reduzir dependência externa de nutrientes do Brasil
Solos do Nordeste ganham cartilha
O governo do Paraná vai premiar os produtores rurais que adotarem boas práticas de uso e manejo sustentável de solos no estado. A medida representa uma adesão à iniciativa da Organização das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (ONU/FAO), que instituiu o ano de 2015 como o Ano Internacional dos Solos.

– O prêmio é também um reconhecimento público aos produtores que se empenham em aliar produção agropecuária e conservação ambiental, conforme a política pública da Secretaria da Agricultura e do Abastecimento – explica o secretário da pasta, Norberto Ortigara.

O prêmio contemplará os produtores da agricultura familiar, empresarial e aqueles que adotam o plantio direto por tipo de solo – basalto, arenito e sedimento. Para Ortigara, o reconhecimento público aos produtores que se dedicam à utilização correta de técnicas adequadas de manejo e conservação do solo estimula outros produtores a usarem tecnologias semelhantes.

As inscrições devem ser feitas junto ao Conselho Municipal de Desenvolvimento Rural ou Conselho Municipal de Sanidade Agropecuária, que farão a seleção e indicação dos produtores. Os produtores selecionados devem comprovar a sua inscrição no Cadastro Ambiental Rural (CAR)e, ainda, a inexistência de ações ambientais por parte dos órgãos de fiscalização.

Uma comissão estadual de julgamento e avaliação das boas práticas de uso e manejo sustentável de solos será formada, composta por representantes da Secretaria Estadual da Agricultura, Emater, Iapar, Adapar, Itaipu Binacional, FAO, Faep/Senar e Ocepar. A comissão terá a atribuição de conduzir o processo de premiação até a definição dos agricultores selecionados, o que ocorrerá em novembro. Se for necessário, a propriedade será visitada.

A cerimônia de premiação acontecerá em 5 de dezembro, Dia Internacional de Conservação de Solos, instituído pela ONU/FAO.

Para Ortiaga, a crise hídrica que afeta os estados do Sudeste do país, com falta de água nas cidades e a redução da produção agrícola, com consequente aumento no preço dos alimentos, acendeu a luz amarela no Paraná.

– Se medidas importantes de conservação e de preservação do meio ambiente não forem adotadas, esses efeitos podem prejudicar a população também por aqui – alertou. Ortigara reforça aos produtores rurais e à sociedade em geral para a importância vital de cuidar dos solos como primeira medida para evitar a secagem das minas e queda no volume de água nos rios.

Ele ainda chama a atenção dos produtores para a intensificação do processo de erosão dos solos no Paraná nas últimas décadas, fazendo com que o estado retorne aos índices de perdas que havia nas décadas de 70 e 80. Ele lembra que algumas empresas de insumos aconselharam o agricultor a retirar as curvas de nível, que protegem os solos, para ganhar mais espaço e tempo para lavouras e pastagens

– Com isso, há mais de 20 anos, o produtor paranaense deixou de fazer plantio direto com qualidade, deixou de fazer e manter curvas de nível e os investimentos em pesquisas de solo, que é o que respaldam as ações – afirma.

Ele acrescenta que o governo estadual fez pesados investimentos em conservação de solos e água no final da década de 80 e início dos anos 90. Naquele período, lembra, o Estado chegou a ser considerado referência mundial pela FAO em relação à conservação de solos e água, quando se adotou em massa as técnicas do plantio direto com qualidade e a instalação de terraços e curva de nível nas lavouras para evitar o escorrimento de água sobre o solo.

Fonte : Canal Rural