.........

POLO NAVAL | Exportadores apontam falta de competitividade

.........

Indicadas pelo desempenho de suas vendas externas, as empresas agraciadas com o Prêmio Exportação RS clamam por melhores condições de competitividade no Brasil. A entrega da distinção conferida pela ADVB foi realizada ontem, no Teatro Bourbon Country, na Capital.
Os sinais de que entraves como infraestrutura, juros e alta carga tributária impedem o país de avançar no mercado internacional apareceram de forma mais nítida neste ano. O Brasil terminou o primeiro semestre com déficit de US$ 3 bilhões na balança comercial, primeiro resultado negativo para os seis meses iniciais desde 2011.
– O Brasil tem focado muito em commodities e perdido espaço em manufaturados – observa Daniel Randon, presidente da Fras-le, do Grupo Randon, de Caxias do Sul.
Segundo Daniel, o fraco desempenho do país nas exportações se deve a fatores como logística ineficiente, câmbio e falta de investimentos em pesquisa e desenvolvimento. A alta do dólar poderia ser um alívio, mas como ocorre em outros países também melhora a competitividade de economias concorrentes, observa. Para os exportadores, as empresas já fizeram a lição e agora chegou o momento de o governo dar respostas.
– A questão é realmente o Custo Brasil, devido a problemas de infraestrutura e carga fiscal – aponta Dennis Braz Gonçalves, presidente da Forjas Taurus.
Distinguido como Personalidade Competitividade Internacional, o presidente do Grupo Gerdau, André Gerdau Johannpeter, admitiu que problemas estruturais do país levaram o conglomerado a diminuir as exportações do Brasil e passar a atender outros mercados com usinas locais. Recomendou melhora na logística, redução da carga tributária e investimentos em educação.

Fonte: Zero Hora