Planejamento, receita para bons resultados

No que depender da avaliação de Jorge de Barros Iglesias, diretor agrícola da Granja Quatro Irmãos, é perfeitamente possível que a RiceTec consiga recuperar algum espaço perdido nas planícies gaúchas nos últimos anos. Ele afirma que o ciclo mais curto das sementes vendidas pela companhia da família real de Liechtenstein diminui a necessidade de aplicação de defensivos, o que reduz custos. O fato de a janela climática de plantio diminuir com uma semente de ciclo curto pode até se transformar em um problema, mas é para isso que existe planejamento.

"Dividindo a safra 2017/18, pudemos plantar 48% da nossa área com sementes do Irga a partir de agosto. O restante cultivamos com sementes da RiceTec. Assim, mitigamos o risco climático". Como a Quatro Irmãos começou a plantar mais cedo do que as propriedades vizinhas, estará bem posicionada quando as indústrias retomarem suas compras de arroz, em janeiro.

Iglesias também realça que a escala da fazenda permite que o gerenciamento das vendas seja mais eficiente, diferentemente do que acontece com boa parte dos arrozeiros de menor porte. Da colheita da safra 2016/17, por exemplo, a Quatro Irmãos negociou até agora 85%, a um preço médio de R$ 39 por saca de 50 quilos, ante um custo de produção de R$ 38, incluindo depreciação e amortização. O diretor agrícola admite que o resultado poderia ter sido melhor, mas não lamenta. "Pelo menos não estamos no vermelho, como a maior parte dos arrozeiros". Para os próximos meses, ainda período de entressafra, ele prevê um aumento de até R$ 1,50 por saca.

A Quatro Irmãos é uma das fazendas mais profissionalizadas do país. Pertence aos herdeiros de Joaquim Oliveira, que fundou a Josapar, dona da marca de arroz Tio João. Mas, por causa de divergências com os herdeiros da Josapar, a produção da Quatro Irmãos não é vendida para a empresa. Os principais clientes da fazenda são Camil, SLC, Arrozeira Pelotas e Extremo Sul. Em 2016/17, a produtividade média da propriedade foi de 10.550 quilos por hectare, acima das médias gaúcha (8.400) e nacional (6.200). A fazenda também planta soja, para rotação com arroz, milho para silagem e leite.

A jornalista viajou a convite da RiceTec

Por Fernanda Pressinott | De Rio Grande e Santa Maria

Fonte : Valor