PF investiga irregularidades no Ministério da Agricultura do RS

Quadrilha é suspeita de corrupção passiva, lavagem de dinheiro e associação criminosa

A Polícia Federal (PF) deflagrou na manhã desta quarta-feira uma operação que tem o objetivo de desarticular uma quadrilha que atuava na Superintendência Regional do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento do Rio Grande do Sul (MAPA/RS). Segundo a PF, o grupo agia em benefício de empresas do setor agropecuário ou agroindustrial reduzindo valores de multas e ajudando em processos de autos de infração. A ofensiva, chamada de Semilla, deve cumprir seis mandados de busca e apreensão e quatro de condução coercitiva em Porto Alegre e Sapiranga, no Vale do Sinos.
Além de trabalhar na redução das multas aplicadas, o grupo também praticava avocação de processos para evitar cobrança de infrações e, em determinados casos, agilizava procedimentos que culminavam na liberação da empresa. Em algumas circunstâncias havia um tratamento diferenciado para companhias e empresários que solicitavam providências não convencionais à administração estadual do órgão, tais como a remoção de Fiscais Federais Agropecuários muito rigorosos em seu trabalho. Algumas empresas eram previamente avisadas das fiscalizações.
Outra prática também flagrada na investigação da Polícia Federal (PF) envolveu pagamentos de propina a agentes públicos por empresa prestadora de serviços relacionados aos eventos promovidos pelo MAPA/RS. Os valores eram superfaturados e parte do pagamento pelo órgão era desviado para a conta de uma empresa que, posteriormente, distribuía os valores entre o grupo.
O inquérito policial conduzido na Unidade de Repressão ao Desvio de Recursos Públicos (UDRP) da PF teve o apoio do Núcleo de Combate à Corrupção do Ministério Público Federal e da Controladoria Geral da União no estado. Os crimes investigados na Operação Semilla são corrupção passiva, corrupção ativa, advocacia administrativa, lavagem de dinheiro e associação criminosa.

Fonte: Correio do Povo