.........

Petrobras planeja vendas de novo diesel

.........

Fonte: Valor | Por Marta Nogueira | Do Rio

Leo Pinheiro/Valor / Leo Pinheiro/Valor
Roberto da Costa, diretor da estatal, estima demanda de cerca de 5 bilhões de litros do diesel S-50 no próximo ano

A menos de um mês para o início das novas normas para o controle das emissões de gases poluentes por veículos pesados, a Petrobras estima demanda de cerca de 5 milhões de metros cúbicos de diesel S-50 (cinco bilhões de litros), em 2012. O combustível, fabricado pela estatal no país desde 2009, será obrigatório nos veículos pesados que forem produzidos a partir de 1º de janeiro do próximo ano, com motores Euro5. O uso do diesel S-50 nos novos motores resultará na redução de, no mínimo, 80% de emissão de material particulado. Inicialmente, a Petrobras venderá o combustível em 900 postos de serviços.

A companhia prevê investimentos de US$ 70,6 bilhões em downstream (logística de venda dos derivados prontos de petróleo) até 2015, sendo US$ 12,6 bilhões destinados ao programa de qualidade do diesel. Em 2013, a companhia planeja começar a produção do diesel S-10, com 10 partes por milhão (ppm) de enxofre. Já em 2014, deverão sair de circulação os combustíveis S-1800 e o S-50.

"A partir de 2014, nós vamos ter dois tipos de diesel no Brasil: o diesel S-500, para a região interior do Brasil, e diesel S-10, para toda a região metropolitana", detalhou o diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. O executivo destacou que os veículos atuais, de motor Euro3, terão de consumir os novos combustíveis, mas a redução das emissões com a utilização de diesel S-50 é muito inferior, de 10% a 15%.

Atualmente, segundo Costa, a Petrobras produz 62% do diesel S-50 consumido no país, o equivalente a 153 mil metros cúbicos por mês, e importa 38%, cerca de 92 mil metros cúbicos por mês. "Com as refinarias novas, vamos trabalhar para que a importação se torne zero, mas isso demora um pouco", disse Costa. Hoje, 5% do diesel consumido no país é do tipo S-50. No mercado interno, o S-50 custa R$ 0,06 a mais que o diesel S-500, afirmou.

O presidente da Petrobras Distribuidora, José Lima de Andrade Neto, ressaltou que a subsidiária vai fornecer o Arla 32, solução de ureia que deverá ser utilizada nos veículos pesados com motor Euro5, com a marca comercial Flua. O produto será necessário para potencializar o efeito da diminuição da emissão de poluentes. A venda estimada, em 2012, é de 40 mil metros cúbicos do produto (40 milhões de litros), atendendo inicialmente 500 postos revendedores.

"É bem verdade que a demanda certamente será maior do que vamos produzir inicialmente", disse Neto. "Nós também vamos importar uma parte desse Arla 32 e vamos distribuir com a nossa marca". O Arla 32 deverá ser usado na proporção de 5 litros a cada 100 litros de S-50, explicou. O uso do Arla 32 permitirá reduzir em até 98% a emissão de óxido nitroso, um dos gases do efeito estufa.

Neto destacou que o Brasil tem mais de 30 mil postos de combustíveis e será um "grande desafio" atender o volume de demanda crescente desses novos produtos. "O Brasil tem aproximadamente 3,2 milhões de veículos a diesel", disse Costa. De acordo com ele, estima-se a produção de cerca de 160 mil novos veículos pesados, com os motores Euro5, em 2012.