.........

Pedido de renegociação em bloco

.........

 Entrega a bancos ocorreu até em centro de eventos<br /><b>Crédito: </b>  NAIÔN CURCINO / JORNAL TRIBUNA / CP

Entrega a bancos ocorreu até em centro de eventos
Crédito: NAIÔN CURCINO / JORNAL TRIBUNA / CP

Num movimento orquestrado, orizicultores gaúchos entregaram, ontem, pedidos de renegociação de dívidas em bancos de, pelo menos, 30 municípios. Com passivo de R$ 3,1 bilhões, eles reclamam urgência na repactuação, encaminhada há nove meses ao governo federal. O presidente da Federarroz, Renato Rocha, calcula 1,5 mil cartas entregues. Frente a falta de avanço, a Federarroz solicitou que os contratos a vencer no dia 31 passem para 31 de outubro. A decisão depende do Conselho Monetário Nacional. O Ministério da Agricultura informou que avalia os pleitos. Em Restinga Seca, 150 produtores pediram a renegociação. O município enfrenta dificuldades desde o ciclo 2009/10. Segundo o presidente da associação dos arrozeiros, Cláudio Possebon, mesmo com a elevação do preço da saca de R$ 19,00 para R$ 28,00 desde 2011, o valor não cobre o custo de R$ 32,00. Em São Borja, há frustração na soja, descapitalização e falta de água nas barragens para irrigar a próxima lavoura.

Fonte: Correio do Povo