.........

Otimismo marca visita de técnicos russos no Estado

.........

Com um clima de tensão digno de missão secreta da finada KGB, a comitiva russa responsável por vistoriar frigoríficos no Brasil encerrou nesta quinta-feira a primeira parte dos seus trabalhos em solo gaúcho. À tarde, o grupo de avaliação de suínos esteve em Santo Ângelo na planta da Alibem. À noite, aconteceu a inspeção no Laboratório Nacional Agropecuário (Lanagro). Industriais e dirigentes do Ministério da Agricultura demonstram otimismo e já se vislumbram o provável fim do embargo à carne brasileira. 
Conforme o superintendente Federal da Agricultura do Rio Grande do Sul, Francisco Signor, os resultados da missão foram positivos, e a expectativa é de que as exportações de carne suína para o mercado russo devam ser retomadas em breve. “Acredito que dentro de 30 dias já poderemos começar a emitir certificados sanitários daqui do Estado para a Rússia”, afirmou.
Signor considerou a avaliação feita pelos técnicos russos como um “teste de fogo” para o setor de carnes gaúcho. “Eles foram extremamente exigentes e detalhistas, analisaram toda a cadeia, da genética ao produto final”, comentou. No entanto, o superintendente lembrou que o ministério da Agricultura e os frigoríficos já se prepararam durante um ano para a inspeção, com melhorias nas plantas, entrega de documentos e análise da legislação russa.
O gerente comercial do frigorífico Frinal, Zico Ross, diz que a inspeção ocorrida no local na quarta-feira foi minuciosa. Segundo ele, os três técnicos russos participantes se mostraram satisfeitos com as condições que encontraram para o abate de aves. “Os comentários deles foram bons. Eles não indicaram se seremos aprovados, mas eles saíram com uma impressão positiva”, diz. Dirigente do estabelecimento em Garibaldi, Ross lembra que os técnicos estrangeiros só recomendaram alterações em relação à temperatura do ambiente.
Se as visitas no Interior do Estado ocorreram normalmente, a ida ao Lanagro foi recheada por desencontros. A inspeção no laboratório localizado na zona Sul da Capital foi agendada às pressas, pois a intenção inicial era conferir o Lanagro de Minas Gerais posteriormente. O encontro estava marcado para às 14h, mas o grupo de avaliação de aves chegou cinco horas depois.
O motivo do atraso passou pela agenda dos inspetores. Ao saírem de Garibaldi, os russos foram à Foz do Iguaçu e tiveram problemas com o táxi-aéreo que os trouxe a Porto Alegre. “Acho que eles não viram o mapa do Brasil antes de virem para cá”, ironizou um servidor do Lanagro. Durante boa parte da tarde, os próprios técnicos do laboratório não tinham certeza do paradeiro dos estrangeiros. Com o expediente finalizado, alguns funcionários do laboratório ficaram de plantão no local. Às 19h27min, poucos minutos depois de receberem uma pizza por tele-entrega, os russos apareceram. A janta ficou para trás, pois os anfitriões foram receber os visitantes. “Eles vieram ver a metodologia de avaliação que utilizamos”, disse Leonardo Isolan, um dos técnicos que acompanhou a comitiva.
Na próxima semana, uma nova equipe de técnicos da Rússia chegará ao Estado. O grupo irá a Santa Maria, no dia 2 de agosto, para visitar o Frigorífico Silva, única planta de carne bovina do Estado a ser incluída na avaliação.

Fonte: Jornal do Comércio | Fernando Soares e Marcelo Beledeli