.........

Novo caso de adulteração de leite no RS

.........

Em mais uma etapa da Operação Leite Compen$ado, que investiga casos de adulteração de leite, o Ministério Público do Estado do Rio Grande do Sul (MP-RS) cumpriu ontem seis mandados de prisão preventiva, três de prisão cautelar e oito mandados de busca e apreensão nos municípios gaúchos de Campinas do Sul, Jacutinga e Quatro Irmãos.

De acordo com o Ministério Público, desta vez, os casos envolviam a adição de água no leite cru refrigerado entregue pela Transportadora Odair à Cooperativa de Pequenos Agropecuaristas de Campinas do Sul (Coopasul). Além da adição de água, laudos realizados por laboratórios credenciados pelo Ministério da Agricultura detectaram a presença de produtos como sal, açúcar e amido de milho no leite. Também houve casos de leite com acidez elevada, o que indica adição de soro de leite, informou o Ministério Público.

De acordo com o MP, o proprietário da transportadora, Odair Melati, foi preso preventivamente pela fraude. Também foram presos três motoristas ligados à empresa, além do presidente da Coopasul, Ariel Narzeti, e do laboratorista Douglas Bonfante.

Em comunicado, o MP informou que, segundo o Ministério da Agricultura, a Coopasul entrega leite, "regularmente", para a Cootal (Taquara), a Lactalis (Fazenda Vila Nova), Lativale (responsável pela marca Tangará, em Estrela), Piracanjuba (Santa Catarina), Tambinho (Erechim) e Frizzo (Planalto).

Por meio de sua assessoria, o Laticínios Bela Vista, dono da marca Piracanjuba, informou que "recebeu apenas uma pequena parte do leite comercializado pela Coopasul e garante que 100% do leite recebido está de acordo com as mais rígidas normas internacionais de qualidade". Informou ainda "que possui um rígido controle de qualidade de todo o leite recebido pela empresa e que, antes do descarregamento, o leite de cada caminhão é submetido a dezenas de análises laboratoriais, o que resulta em mais de 3.000 análises por dia".

Já a francesa Lactalis, que comprou a unidade de Fazenda Vila Nova da LBR-Lácteos Brasil, informou que " garante a qualidade de todos os seus produtos através de rigorosos controles de qualidade aplicados a todas as matérias-primas utilizadas na fabricação de seus produtos". Assim, segundo a empresa, "qualquer irregularidade na matéria-prima recebida acarreta a sua imediata rejeição e consequente devolução por parte da Lactalis. Dessa forma, a Lactalis assegura que todos os ingredientes utilizados na fabricação de seus produtos possuem o mais alto nível de qualidade".

Segundo o Ministério Público, será feita a rastreabilidade dos lotes de leite em desconformidade para que sejam retirados das prateleiras.

Fonte: Valor | Por Luiz Henrique Mendes e Alda do Amaral Rocha | De São Paulo