NOTÍCIAS – Soja pode substituir o whey protein

Uma porção de 100 gramas do grão tem mais proteínas que um copo de suplemento alimentar

whey-protein-suplemento (Foto: Creative Commons/Sandstein)

Whey protein faz sucessos entre atletas e frequentadores de academia (Foto: Creative Commons/Sandstein)

Suplemento alimentar consumido por adeptos de atividades físicas e frequentadores de academias, o whey protein  promete ajudar no ganho de massa muscular. No entanto, os adeptos de uma alimentação mais saudável (ou de custo mais baixo)podem ter alternativas ao produto. Alimentos como soja, carne, leite e vísceras como o fígado de boi, podem ser algumas dessas alternativas.

O whey protein geralmente é feito a partir do soro do leite e é importado. O produto tem três principais benefícios: redução da fadiga e maior queima de gordura, rapidez e facilidade deganho de massa muscular, e favorecimento de recuperação esíntese proteica – processo que sintetiza as proteínas do corpo.

Por ser um suplemento, não um medicamento, o uso do whey protein não exige avaliação de um especialista ou receita médica para ser comprado, mas é recomendado ouvir um profissional que indique o uso correto, de acordo com Andréia Pereira, nutróloga do Hospital Israelita Albert Einstein, de São Paulo, assim como a quantidade diária dos alimentos naturais que o substituem exigem, caso contrário, eles podem engordar.

“O ideal é que o usuário seja orientado por um profissional da nutrição esportiva e que faça exames médicos antes de começar a usar suplementos. Se a pessoa tiver algum problema renalnão diagnosticado, por exemplo, o uso do whey protein vai piorar o problema”, explica a médica.

Quando ingerido em excesso, o whey protein causa acúmulo de nitrogênio no organismo, pois a substância não é totalmente filtrada pelos rins, o que dificulta a excreção de amônia, causandodesconforto abdominal, cálculo renal, entre outros problemas. “Caso a pessoa não tenha problema renal e ingira o suplemento na quantidade recomendada, dificilmente diagnosticamos algum malefício. Por isso, a importância de saber necessidade diária do produto e dos alimentos mais proteícos”, complementa Andréia.

Atenção, consumidor!

Em 2014, o Inmetro fez teste com 15 marcas de whey protein. Os resultados revelaram os produtos fabricados por 14 das empresas testadas continham alguma divergência entre seus compostos reais e as informações apresentadas nos rótulos dos suplementos.

Entre as marcas testadas, somente quatro apresentaram quantidade de carboidratos compatível com a apresentada na embalagem. Outro resultado alarmante diz respeito à presença de substância não apresentadas no rótulo do produto: produtos de cinco marcas testadas tinham compostos não revelados ao consumidor.

Alternativas naturais

E quais são as alternativas naturais ao whey protein, para aqueles que não desejam consumir o suplemento? Andréia recomenda todos os alimentos proteicos carnes, ovos, queijos, leites e derivados -, mas, assim como deve ser com o suplemento, também ingeridos em quantidade adequada e com acompanhamento de um profissional de nutrição.

Sabrina Rocha, dermatologista e médica ortomolecular, diz que alguns dos alimentos que podem substituir o suplemento são ainda mais benéficos que o whey protein, já que têm maior concentração de proteína. “A quantidade média de proteína num scoop de whey é 25g. Alguns alimentos ultrapassam esse valor de proteína, como a soja em grão. Cada 100g desse alimento contém 36 g de proteína. Outros alimentos também tem maior concentração de proteína que o whey protein, mesmo que sejam ingeridos em menor quantidade que o suplemento, como o filet mignon, o fígado bovino e o frango”, esclarece.

POR LUCAS ALENCAR | EDIÇÃO: VIVANE TAGUCHI

Fonte : Globo Rural