.........

NOTÍCIAS – Rondônia contribui para fortalecer o Agro+ ao lançar versão local do programa

.........

Modernização

Ao participar da cerimônia, Maggi observou que menos burocracia significa mais renda para a produção e mais empregos. O ministro esteve ainda no Encontro da Agricultura do Acre

Exibir carrossel de imagensEm Porto velho, Blairo Maggi disse que ouve produtores antes de mudar regras do agronegócio

Em Porto velho, Blairo Maggi disse que ouve produtores antes de mudar regras do agronegócio

O ministro Blairo Maggi defendeu as medidas do programa de modernização e de desburocratização do Agro+, ao participar nesta segunda-feira (13), do lançamento da versão local do programa em Porto Velho (RO). Maggi disse que foram feitas mudanças em centenas de ações que envolvem o cotidiano dos produtores, que “precisavam esperar até sete meses para mudar uma mesa de lugar, dependendo de autorização de Brasília”.  O programa teve início em agosto do ano passado no Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento , e já foi adotado também no Rio Grande do Sul e em São Paulo.

O ministro observou que tem falado diretamente com veterinários e com trabalhadores da área operacional do agronegócio para descobrir quais são os entraves que atrapalham tarefas simples do dia a dia. “Quando você retira a burocracia, é mais dinheiro na mão do produtor e mais emprego gerado no país”, afirmou.

Maggi fez um relato a autoridades do governo de Rondônia, a parlamentares e a produtores das viagens que tem realizado ao exterior para ampliar a participação brasileira no mercado mundial do agronegócio. Nessas ocasiões, aproveita para esclarecer a respeito do cumprimento à legislação ambiental do país. Segundo ele, é preciso que alguém faça esse papel lá fora, porque existem “narrativas ultrapassadas em relação ao cuidado com o meio ambiente”.

Se outros países, afirmou Blairo Maggi, preservassem a natureza como fazem os brasileiros, possivelmente os problemas climáticos não estariam acontecendo. “Temos 61% de nosso território totalmente preservado. Ninguém no mundo tem essa condição”, enfatizou. O Brasil precisa se impor nesse debate e o mínimo que espero é o reconhecimento pelo que fazemos, disse o ministro.

Acompanhado do secretário-executivo, Eumar Novacki,  o ministro comprometeu-se a apoiar a 6ª Feira de Negócios e Tecnologia – Rondônia Rural Show, que acontecerá entre os dias 24 e 27 de maio na capital.

Países andinos

Durante Encontro da Agricultura, na Federação das Indústrias do Acre, em Rio Branco (AC), durante a manhã, produtores pediram ao ministro apoio para maior aproximação com países andinos a fim de ampliar o comércio. O ministro se comprometeu a interceder junto ao Itamaraty para fortalecer as relações do Acre e de Rondônia com os países vizinhos.

Rondônia tem importante participação na pecuária de leite do país, além da produção de café e de grãos. No Acre, destacam-se, além da extração de borracha, a produção de castanhas. São seis os países andinos, Chile, Colômbia, Peru, Bolívia, Equador e Venezuela.

Outro tema de interesse no Acre é a regularização fundiária na região. O ministro disse ter falado recentemente com o presidente Michel Temer sobre o assunto e que essa é uma preocupação de governo. Nos últimos 20 anos, 88 milhões de hectares de terras foram distribuídas no Brasil sendo que 90% desse total encontram-se irregulares.

Mais informações à imprensa:
Coordenação-geral de Comunicação Social

Fonte : Mapa