NEGÓCIOS – Receita de vendas da Expodireto supera R$ 2 bilhões em 2017

Balanço dos negócios foi apresentado nesta sexta-feira

Balanço dos negócios foi apresentado nesta sexta-feira

A Expodireto terminou com receitas em vendas que surpreenderam os próprios organizadores. O montante chegou a R$ 2,12 bilhões alta de 34% frente à edição de 2016, que somou R$ 1,58 bilhão. O ano passado foi marcado pela queda frente a 2015. A previsão inicial era de avançar 15%, no máximo, 20%, disse o presidente da Cotrijal, Nei César Mânica. O balanço feito no fim da tarde desta sexta-feira, ultimo dia do evento que tem como marca a venda de equipamentos de agricultura de precisão, ainda indicou que 240,6 mil visitantes. Mesmo no encerramento, com chuva na parte da manhã, o fluxo se manteve, parte devido à audiência pública chamada pela Comissão de Agricultura do Senado para discutir a proposta da reforma da Previdência e impacto às aposentadorias rurais.

Mânica fez questão de chamar a atenção não para as cifras mais volumosas de contratos de intenção de compra, que tramitam em bancos, que somaram R$ 1,9 bilhão, ou 90% do resultado entre instituições comerciais, de fomento e ligadas a fábricas. "Teve uma empresa que vendeu 80% para produtores que iriam pagar com recursos próprios", exemplificou o dirigente. A disponibilidade para quitar as compras com capital próprio alcançou R$ 189 milhões, alta de 117% frente a 2016. Foi o maior valor em três anos.

O êxito na comercialização é atribuído à condição de capitalização dos produtores, que terão neste ano supersafra, esperada em mais de 30 milhões de toneladas. "Há boas perspectivas de safra, além disso as indústrias vieram com preços para girar estoque", apontou o dirigente. "Se o juro fosse menor, talvez tivesse mais vendas." Mas um recado foi reforçado, pois já havia sido alvo de painéis que discutiram o futuro do mercado de grãos, principalmente da soja. A direção da Cotrijal insistiu que os produtores "têm de tomar consciência e não concentrar em uma única data a comercialização. Devem vender 30% antecipadamente", frisou Mânica. O alerta ganha peso diante do recuo dos preços da soja, depois de cotação mais altas no segundo semestre de 2016.

Os negócios do Banco do Brasil (BB) somaram R$ 710 milhões, em 1,8 mil propostas colocadas na instituição. Em 2016, haviam sido R$ 500 milhões nas intenções de compra. Com isso, a instituição teve alta de 40% frente ao fluxo do ano passado, acima da média de crescimento dos negócios. Contratação ficou na expectativa do banco, disse o superintendente estadual do BB, Edson Bündchen. "No ritmo de inovação da Expodireto, o banco utilizou a tecnologia para agilizar a realização de negócios. Esse diferencial possibilitou a superação das projeções iniciais para o evento", pontuou Bündchen.

Alguns fatos também marcaram a edição. A vinda do ministro da Agricultura, Blairo Maggi, na quinta-feira, com mais de 30 embaixadores. A senadora Ana Amélia Lemos (PP), que liderou a audiência sobre a reforma da Previdência, elogiou a organização e capacidade do ministro em trazer os diplomatas em um só dia, que foram trazidos em um avião da Força Aérea Brasileira (FAB). Já a expectativa de que Maggi pudesse anunciar a tendência de juros do Plano Safra 2017/2018 foi frustrada. "Havia a expectativa, mas o ministro disse que não ia projetar, pois depois poderia não vir no nível falado", lembrou o presidente da Cotrijal.

Ao anunciar os números finais, a organização divulgou pesquisa de satisfação feita pela Ulbra que indicou satisfação de 99% do público com a estrutura do parque. Na edição anterior, a pesquisa havia apontado 97%. Com a chuva de sexta, os raros problemas apareceram, como o lamaçal em um dos estacionamentos. "Há melhorias na área de alimentação e estacionamentos para fazer", rendeu-se Mânica. O que chama a atenção é o cuidado do ambiente interno, com passeios calçados, com escoamento da água da chuva para a região mais baixa, e um paisagismo impecável. "A beleza e a limpeza são efeitos da cultura dos agricultores. A exposição é como se fosse a nossa própria casa", comparou o dirigente. "Quero dizer que saímos realizados, mas queremos melhorar para fazer em 2018 uma Expodireto melhor", compromete-se Mânica. O evento no próximo ano também já tem data: 5 a 9 de março.

COTRIJAL/DIVULGAÇÃO/JC

Fonte : Jornal do Comércio