.........

Negócio entre Monsanto e Embrapa não precisa passar pelo Cade

.........

BRASÍLIA  -  A Superintendência do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) entendeu que a Monsanto não precisava notificar o órgão antitruste sobre a operação em que pretende conceder licença para que a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa) possa vender, no Brasil, algodão com tecnologia RRFlex e BGII/RRFlex, mais resistentes a pragas.

Mas, se o plenário do Cade achar que o negócio tem que ser analisado, poderá “puxar” a operação para julgamento. A recomendação da Superintendência, nesse caso, é de que o aval seja dado sem restrições.

Para a Superintendência, o entendimento é que “operações similares a esta não devem ser conhecidas por tratarem de licenciamento não exclusivo de direito de propriedade intelectual e que não carregaram consigo acordos de não concorrência, transferência de ativos, organização comum”.

Por isso, em despacho publicado no “Diário Oficial da União” desta segunda-feira, a Superintendência decidiu “pelo não conhecimento da operação”, ou seja, que ela não precisa ser analisada pelo órgão. E continua: caso o plenário “eventualmente entenda de modo diverso, recomenda-se que seja a operação aprovada, sem restrições”.

(Thiago Resende | Valor)

© 2000 – 2013. Todos os direitos reservados ao Valor Econômico S.A. . Verifique nossos Termos de Uso em http://www.valor.com.br/termos-de-uso. Este material não pode ser publicado, reescrito, redistribuído ou transmitido por broadcast sem autorização do Valor Econômico.
Leia mais em:

http://www.valor.com.br/agro/3207014/negocio-entre-monsanto-e-embrapa-nao-precisa-passar-pelo-cade#ixzz2ZsDB3Sea

Fonte: Valor | Por Thiago Resende | Valor