Na tentativa de reduzir os prejuízos causados por pragas na soja, Mapa sugere ações de manejo integrado

Na última safra, as perdas provocados pela lagarta helicoverpa chegaram a R$ 2 bilhões

Reprodução

Foto: Reprodução / Agrodefesa GO

Produtor terá que adotar a integração de uma série de medidas para combater as pragas

Com a intenção de reduzir os prejuízos provocados pela incidência de pragas na soja como a helicoverpa e a mosca branca, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) sugeriu nesta quarta, dia 10, na Câmara Setorial da Cadeia Produtiva da Soja, o manejo integrado de pragas.
De acordo com a Associação Brasileira dos Produtores de Soja (Aprosoja), somente na última safra, os prejuízos causados pela lagarta helicoverpa chegaram a R$ 2 bilhões. O diretor-substituto Sanidade Vegetal, Carlos Franz, indica uma série de ações que fazem parte de um manejo integrado de pragas.
– O caminho que o produtor terá que adotar é a integração de uma série de medidas, que não apenas o uso do controle químico para combater essas pragas. Essas medidas incluem uma série de práticas de manejo integrado de pragas, rotação de culturas, práticas culturais, obediência ao calendário de plantio. Além do uso de variedades resistentes ou tolerantes e controle biológico, que também é uma ferramenta muito importante – destaca o diretor.
Além disso, o setor também pediu para que o governo libere de fato, os R$ 700 milhões prometidos no Plano Safra para o seguro agrícola. De acordo com a Aprosoja, no ano passado o dinheiro prometido teria sido contingenciado, o que prejudicou diversos segmentos.

CANAL RURAL

Fonte: Ruralbr