Na Expointer, Marina Silva afirma que agronegócio gostou do que ela disse

Marina Silva esteve na Expointer nesta quinta-feira

Marina Silva esteve na Expointer nesta quinta-feira

A candidata do PSB à Presidência da República, Marina Silva, encarou, nesta quinta-feira (4), um dos setores mais críticos para sua campanha, o do agronegócio. Apesar de seus concorrentes dizerem que ela tem resistências a algumas medidas de estímulo, Marina disse, na Expointer, em Esteio, que vai continuar trabalhando para que o mercado cresça.

Marina se reuniu com representantes do segmento na casa da Federação da Agricultura do Rio Grande do Sul (Farsul) e fez um balanço positivo do encontro: "os representantes do agronegócio disseram que foi muito bom ouvirem minhas propostas por mim mesma, não pelo que liam ou ouviam falar", disse ela. Após a reunião, Marina concedeu coletiva de imprensa na Federação dos Trabalhadores na Agricultura no Rio Grande do Sul (Fetag).

Sua passagem pelo parque gerou muito tumulto e foi acompanhada pelo candidato ao governo do Estado José Ivo Sartori, pelo candidato ao Senado Pedro Simon e pelo seu vice ao governo federal Beto Albuquerque, entre outras lideranças.

O Sindbancários fez um protesto na chegada de Marina à Fetag com um cartaz que dizia: ‘Sindbancários na luta pela defesa dos direitos homossexuais". Ao ser questionada sobre como reagiria a uma manifestante que a acusava de homofóbica, Marina comentou que "prefere sofrer injustiças do que cometê-las".

Marina criticou o fato de Dilma Rousseff (PT) e Aécio Neves (PSDB) ainda não terem apresentado seus planos de governo. Isso, segundo ela, seria o motivo de apenas suas propostas estarem sendo debatidas. "Queremos governar com o melhor dos partidos, da iniciativa privada e da academia", revelou.

A candidata vê com cautela os resultados das pesquisas que asseguram sua vitória no segundo turno, acrescentando que “ainda há muito chão pela frente”. “Se Dilma ganhar, ela vai achar que foi por causa das lideranças políticas e seus 11 minutos de televisão. Se nós ganharmos, vamos creditar a vitória ao cidadão brasileiro”, previu.

Amanhã, os presidenciáveis Dilma Rousseff e Aécio Neves são esperados no Parque de Exposições Assis Brasil.

Fonte: Jornal do Comércio

 

Mauro Belo Schneider

MARCOS NAGELSTEIN/JC